Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis – O Dom da Amizade de Colin Duriez

by Eduardo Stark

Certamente J.R.R. Tolkien é um autor admirado por milhões de pessoas em todo o mundo. Seus livros são lidos e relidos com bastante atenção nos quatro cantos do globo e por mais de três gerações. Mas e se Tolkien fosse amigo de outro escritor quase igualmente também amado em todo o mundo?

Diz o ditado que “um raio não cai no mesmo lugar”, mas no caso de Oxford ele parece ter caído mais de uma vez. Isso por que Tolkien era amigo de outro escritor de fantasia muito admirado: C. S. Lewis, conhecido pelos mais próximos pela alcunha de “Jack” autor de Crônicas de Nárnia.

O fato de Lewis e Tolkien serem amigos é um fato por si só intrigante. Como dois dos maiores escritores do século XX foram tão próximos? Quais as influências eles beberam? Como era o seu convívio? Quais eram as conversas que eles tinham? Como podemos imaginar dois gênios literários em uma mesma sala falando sobre Dragões, Hobbits, elfos e aventuras?

Foi com o propósito de nos dar um pouco da sensação e imaginarmos como era a amizade desses grandes escritores, que Colin Duriez reuniu diversas informações em seu livro “J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis – O Dom da Amizade”.

Esse livro é basicamente uma visão geral da vida dos dois escritores, ressaltando como foram suas interações. Nele é possível encontrar detalhes que não foram ressaltados em outras biografias e serve como complemento de informações sobre a vida dos escritores. Para escrever o livro, o autor Duriez reuniu todo o material biográfico disponível sobre Tolkien e Lewis, e acrescentou novos dados com base em entrevistas e documentos descobertos.

Uma nova edição pela HarperCollins Brasil

O livro foi originalmente publicado em 2003 com o título “Tolkien and C.S. Lewis: the Gift of Friendship”. No Brasil foi publicado pela primeira vez em 2006 pela editora Nova Fronteira, com tradução de Ronald Kyrmse.

Recentemente (2017/2018) a editora HarperCollins Brasil adquiriu os direitos autorais de todas as obras de J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis, e também alguns livros que eram parte do catálogo da editora Nova Fronteira. Com isso, o livro de Colin Duriez foi republicado em uma nova versão em capa dura.

O livro “J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis – O Dom da Amizade” de Colin Duriez inaugura a grande biblioteca tolkieniana que será promovida pela editora HarperCollins Brasil. Tendo adquirido os direitos autorais para publicar as obras de J.R.R. Tolkien, a nova editora está iniciando um processo novo de tratamento das obras de fantasia do grande autor.

A pequena sinopse oficial do livro publicado pela editora HarperCollins Brasil é a seguinte:

“A VERDADE POR TRÁS DA FANTASIA
Venerados por leitores do mundo inteiro, os dois maiores escritores de fantasia do século XX, J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis, venderam juntos mais de 250 milhões de exemplares de suas sagas O Senhor dos Anéis e As crônicas de Nárnia. Porém, poucas pessoas sabem que Tolkien e Lewis, muito diferentes tanto no temperamento quanto no estilo de escrita, tiveram, ao longo de quase 40 anos, uma relação conturbada, marcada por afinidades, ressentimentos e influências mútuas. Sem o encorajamento de Lewis, Tolkien jamais teria escrito O Senhor dos Anéis; por outro lado, toda a ficção de Lewis é profundamente marcada pelas ideias de Tolkien. Em O dom da amizade, o professor e jornalista inglês Colin Duriez conta a verdadeira história dessa relação de amor e ódio.”

O conteúdo do livro

O livro contém doze capítulos e ao final há dois apêndices, que trazem uma cronologia dos acontecimentos e um texto sobre a popularidade duradoura dos escritores. O objetivo é relatar sobre a vida de Tolkien e C.S. Lewis, apresentar os pontos chaves e comuns entre os autores, relacionar suas vidas e obras e dar uma visão ampla para o leitor que pretende começar a entender melhor.

Como se trata de um livro contendo a história da vida de dois escritores, há uma tendência a resumir os pontos principais de suas vidas particulares para dar mais ênfase nos períodos em que eles já estavam adultos e mais próximos. Evidentemente, que para se ter uma noção específica da vida de cada autor é necessário uma biografia própria.

O índice do livro é o seguinte:

Prefácio
1. Os anos de formação (1892-1925)
2. Encontros de mentes e imaginações: “Tolkien e eu falávamos de dragões…” (1926-1929).
3. Um mundo em forma de História: “Mythopoeia” (1929-1931)
4. Os anos 1930: O contexto da ortodoxia imaginativa
5. Surgem os Inklings: amizade compartilhada? (1933-1939)
6. Duas viagens para lá e de volta outra vez: O regresso do peregrino e O hobbit (1930-1937)
7. Espaço, tempo e o “novo hobbit” (1936-1939)
8. A 2ª Guerra Mundial e depois: Charles Williams chega a Oxford (1939-1949)
9. O guarda-roupa de um professor e anéis mágicos (1949-1954)
10. Surpreendido por Cambridge e desapontado pela alegria (1954-1963)
11. Adeus à Terra das Sombras (1963-1973)
12. O dom da amizade: “Quem pode merecer isso?”
Apêndice A: Uma breve cronologia de J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis
Apêndice B: A duradoura popularidade de J.R.R. Tolkien e C.S. Lewis.

Simplesmente analisando o índice é possível verificar que está escrito em ordem cronológica, colocando os acontecimentos enfileirados de acordo com o decorrer dos anos dos dois autores, como é recorrente em biografias.

A forma de escrita de Duriez, com a tradução de Ronald Kyrmse, é de uma objetividade autêntica e interessante para aqueles que querem colher as informações sem grandes digressões.

No livro será possível aprender mais sobre como os dois escritores desenvolviam suas histórias e até mesmo os temas de debates em comum e um pouco sobre as razões de sua separação.

 

A tradução ficou boa?

O livro é do tipo informativo, ou seja, não é uma obra literária onde os sentidos do autor são relevantes para compreender melhor a obra no aspecto artístico. Assim, por ser um livro que contém informações sobre as vidas dos escritores isso se torna mais relevante do que eventuais análises da tradução. Se as informações se mantiveram fiéis ao original já é o suficiente para ser um ponto positivo.

Deve-se deixar claro que a tradução da versão da HarperCollins é a mesma feita pela primeira versão da Nova Fronteira, com o mesmo tradutor, o Ronald Kyrmse. De modo que não é possível uma análise comparativa de traduções anterior e posterior. O que se poderia fazer é comparar o original em inglês com a versão traduzida, mas não seria relevante, como dito, em se tratando de um livro informativo. No livro, as poucas partes que tem algum aspecto literário foram traduzidas a contento e não prejudicam o entendimento do leitor de forma geral.

Ler O Dom da Amizade ou ler as biografias individuais de cada escritor?

A amizade de Tolkien e Lewis foi duradoura e permitiu que os dois colhessem muitas coisas importantes em suas vidas. Ao ler qualquer biografia dos escritores certamente haverá um capitulo ou uma boa referência a amizade que durou quase quarenta anos. O livro de Colin Duriez apresenta uma forma ampliada nesse ponto específico. De modo que, ao conhecer mais sobre C.S. Lewis o leitor também poderá conhecer mais sobre J.R.R. Tolkien e vice-versa.

Como exemplos desse vínculo vemos o fato de vários livros de C.S. Lewis serem dedicados a Tolkien (Cartas de Um diabo a Seu aprendiz) ou que fazem referências a ele (A trilogia cósmica, Os Quatro Amores, Surpreendido pela Alegria etc). Do mesmo modo, Tolkien dizia que O Senhor dos Anéis foi publicado graças ao incentivo moral de C.S. Lewis, sem o qual o livro não seria terminado. Além disso, Lewis foi responsável por incentivar os livros do Tolkien com suas resenhas em jornais da época.

Se você é um leitor fã de Tolkien certamente esse livro é a melhor forma de ser introduzido nos escritos de C.S. Lewis. E o contrário também pode ser dito. O leitor de Lewis pode conhecer mais sobre Tolkien. Dessa forma, o livro serve como uma porta para um dos autores que você talvez ainda não conheça.

Escolha: a edição da HarperCollins Brasil ou da Nova Fronteira?

Certamente a escolha será de cada leitor, o que se segue são sugestões a respeito.

A versão da Nova Fronteira foi publicada em 2006 em formato paperback, com folhas brancas e formato menor. Só isso para muitas pessoas seria o suficiente para evitar a versão mais antiga, pois a edição da HarperCollins Brasil está em um estilo mais agradável a leitura.

Assim, a diferença fundamental entre a edição da Nova Fronteira e a da HarperCollins Brasil está no tratamento editorial. A versão nova está em capa dura com tecido vermelho, com folhas em bom material e uma nova diagramação mais atraente para a leitura.

As edições da Nova Fronteira estão esgotadas, mas são facilmente encontrados em livrarias especializadas em livros usados, os sebos. De modo que podem até ser encontradas por preços substancialmente baixos. Porém, o mesmo livro pela HarperCollins Brasil tem um preço interessante e pode até mesmo estar vinculada em promoções pelas livrarias e sites de vendas online.

É interessante adquirir a edição da HarperCollins Brasil também pelo fato de que essa editora é que está responsável por publicar as obras do Tolkien e essa é a forma do leitor incentivar o crescimento das próprias publicações do Tolkien. Tornando a editora mais fortalecida com o resultado do empreendimento crescerá o interesse em publicar mais obras do Tolkien e isso será crescente.

Além disso, a editora traz um formato que seja compatível com os outros livros do Tolkien e relacionados, de modo que em uma biblioteca pessoal a edição será mais atraente fisicamente nas estantes.

Aspectos críticos e finalidade da obra

Não há propriamente pontos negativos da obra em si, mas sim que o leitor deve estar atento às finalidades que o livro se propõe.

Primeiramente não é um livro de autoria do Tolkien. Então, se o leitor está procurando colecionar livros desse escritor tem que estar atento ao fato que O Dom da Amizade é um livro complementar de segundo grau. No sentido de que não se encontra entre os livros básicos (primeiro grau) para o leitor tolkieniano. Em se tratando de biografias que são consideradas fontes básicas os livros escritos por Humphrey Carpenter ocupam essa posição: A Biografia do Tolkien e o livro “Os Inklings”. A biografia autorizada do Tolkien pode ser adquirida também pela HarperCollins Brasil (veja AQUI)

Além do fato de não ser uma obra de fonte primária, o livro de Duriez apresenta aspectos gerais da vida dos dois autores, isso implica em ter que resumir o conteúdo para que o livro não ficasse muito longo. Dessa forma, o livro não se aprofunda substancialmente na vida dos autores. Então se caso o leitor procura aprofundamento sobre a vida do Tolkien deverá, como dito acima, procurar as obras do Humphrey Carpenter e especialmente os livros da Christina Scull e Wayne Hammond.

Por outro lado, a obra fornece novos elementos que o Colin Duriez coletou no processo de escrita do livro e isso torna a obra interessante como uma ampliação de certas noções sobre a vida dos dois grandes autores. É uma tarefa complicada analisar a amizade de duas pessoas que faleceram há várias décadas e ter apenas a disposição fontes fragmentadas ou mesmo imprecisas. Dessa forma, o livro organiza as ideias e proporciona ao leitor um pouco de como hipoteticamente poderiam ter sido alguns momentos entre o Lewis e o Tolkien.

Para adquirir um exemplar basta acessar o link AQUI.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: