Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

A História de Kullervo e a contribuição brasileira para ser publicado!

Kullervo cover

Eduardo Stark

O professor Tolkien até o final do século XX não era reconhecido (ou se quer conhecido) como um grande escritor no Brasil. Sua obra era normalmente lida por pessoas que tinham uma boa rotina de leitura e entre jovens que costumavam jogar o RPG.

A grande alavancada nesse aspecto ocorreu certamente por decorrência dos filmes do Senhor dos Anéis nos anos de 2001 a 2003. O sucesso dos filmes dirigidos por Peter Jackson proporcionaram uma grande quantidade de leitores, que passaram a formar grupos diversos. De fato foi uma das épocas mais brilhantes no Brasil em se tratando de investidas tolkienianas.

Contudo, após o lançamento do último filme percebia-se que já não era a mesma intensidade. E gradualmente a “cultura tolkieniana” foi sendo mitigada, reduzida, mas jamais abandonada.

Desde que fundei o site Tolkien Brasil junto com alguns amigos por volta de setembro de 2012, sempre tive a ideia de que a obra de Tolkien precisava ser divulgada com mais ênfase no Brasil. Não de uma forma meramente informativa como estava sendo feito, mas nos meios acadêmicos também. Através de palestras, seminários e fomento a teses acadêmicas.

Foi nessa intenção que criamos (em fevereiro de 2013) um grupo de estudos sobre o Beowulf e o Kalevala,  uma obra épica finlandesa que influenciou J. R. R. Tolkien durante sua juventude e que contribuiu para a criação de seu legendarium.

O grupo era composto basicamente de cerca de 15 estudantes universitários de vários faculdades da minha cidade (que tem uma forte categoria acadêmica). Propomos debates sobre mitologia, psicologia,filosofia, literatura e vários outros aspectos relacionando o Kalevala e a obra de Tolkien.

A história de kullervo

O material básico utilizado nesses encontros eram os textos do próprio Tolkien sobre o Kalevala e A História de Kullervo, que já haviam sido publicados em 2010 no periódico chamado Tolkien Studies (volume 7) com edição de Verlyn Flieger.

Foi então que dentro desse ambiente de debates sobre a obra que tive a ideia de reunir esse material e publicar junto com os artigos dos acadêmicos.

A ideia inicial é que seria uma obra para aquele circulo de estudantes e outros que pudessem se interessar. Por isso não haveria a necessidade de uma publicação em larga escala e nem mesmo a intenção de lucro sobre a obra. Assim, foi estabelecido que fossem publicados 100 exemplares do trabalho e que essa seria nossa proposta para os advogados da família Tolkien.

Além disso, seria um livro em formato bilíngue Português-Inglês. Tendo em vista que Tolkien utilizou muitas palavras arcaicas até mesmo para o inglês e que seria de complicada tradução sem modificar um pouco o sentido original.

Estabelecido o projeto, seria uma questão de conseguir as devidas permissões. Embora a lei de direitos autorais brasileira garantia, de certa forma, a possibilidade desse tipo de publicação restrita aos acadêmicos. Como advogado e entusiasta de Tolkien eu não poderia deixar de me assegurar quanto a todos os registros necessários e devidas autorizações para utilizar os textos originais.

Assim, em 16 de abril de 2013 iniciei os primeiros contatos com a própria Verlyn Flieger, que felizmente respondeu dizendo que:

“Ficaremos felizes em ter o material do Kullervo traduzido para o Português” (We’d be happy to have the Kullervo material translated into Portuguese).

E ela remeteu o projeto Hilary Attfield, o representante da  West Virginia University, que havia publicado o volume 7 do Tolkien Studies. Felizmente Attfield também concordou com o projeto, mas ressaltou que era necessária a permissão da Tolkien Estate.

A Tolkien Estate é a organização formada pelos herdeiros de J.R.R. Tolkien e que tem a função de cuidar dos direitos autorais de todo o material deixado pelo escritor. Desde o falecimento do professor seu diretor principal é o Christopher Tolkien, que conserva com muita propriedade os trabalhos de seu pai.

O contato com os advogados da Tolkien Estate me pareceu mais simples do que eu imaginava. Pois acredito que há uma grande demanda de trabalhos e mesmo assim tiveram o tempo e a boa vontade de dar atenção a um projeto pequeno como o proposto.

Os representantes da Tolkien Estate foram muito compreensivos com minhas ideias e entraram em contato com seu cliente Christopher Tolkien. Logo o projeto foi aprovado, porém com uma série de condições, dentre elas enviar o material completo antes de ser publicado para análise.

Nesse meio tempo, procurei diversas pessoas que pudessem contribuir com a obra. Entrei em contato com Wayne Hammond e Christina Scull, dois grandes pesquisadores sobre Tolkien na atualidade, e também fiz contato com John Garth, o renomado biografo de Tolkien autor do livro Tolkien and the Great War. Eles acreditaram na boa intenção do projeto e deram permissão para publicar textos no livro.

Tenho a grata satisfação de ser membro da The Tolkien Society e informei alguns poucos membros sobre o projeto e apoiaram a ideia se mostrando empolgados. Nesse tempo entrei em contato com Shaun Gunner, atual presidente da The Tolkien Society, para que também contribuisse com o projeto.

Também conversei com o italiano Oronzo Cilli, que foi um grande entusiasta do projeto e contribuiu muito se tornando um amigo. Ele ficou responsável por escrever a introdução do livro e teve a colaboração de Greta Bertani Paolo Simonetti.

Também entrei em contato com o ilustrador Jay Johntone, que iria fazer belos trabalhos para o livro em estilo dos pergaminhos medievais. Chegamos a marcar algumas rápidas reuniões para discutir sobre o futuro do livro.

Rascunho jay johnstone kullervo

Rascunho das artes de Jay Johnstone

Embora tenho um certo domínio da língua inglesa, procurei tradutores com mais experiência e que pudessem fazer um trabalho de qualidade. Assim, para a tradução dos originais para o Português ficaram encarregados o Sérgio Ramos, Mônica Peli e sua irmã Márcia Peli, e a revisão final seria realizada por Débora Souza (conhecida como Valië).

Durante todo o ano de 2014 o projeto estava sendo desenvolvido. Entrei em contato com a Universidade de Coimbra (Portugal) que felizmente manifestaram seu apoio ao projeto.

Nessa mesma época tomei conhecimento que no ano anterior havia sido publicada em português o Kalevala com uma tradução completa e direta do finlandês. Entrei em contato com as tradutoras Ana Isabel Soares e Merja de Mattos-Parreira e a editora Camões que gentilmente deram a permissão para republicar os Cantos do Kalevala que tratavam sobre A História de Kullervo.

Ana Isabel Soares é doutorada e pós-doutorada em Teoria da Literatura. Merja de Mattos-Parreira, falante nativa de finlandês, é doutorada em Linguística Inglesa. As duas são professoras na Universidade do Algarve.

O projeto foi tomando uma forma interessante, porém muito complicada em sua edição. Apesar disso, o trabalho foi compensador e cheio de aprendizagens sobre a forma de escrita do Tolkien naquela época e a origem do seu mundo. Entrei em contato com o Instituto Kalevala, que busca promover o estudo desse épico além das fronteiras da Finlândia.

Tivemos a ideia de que se o projeto ficasse com uma boa qualidade iríamos pedir para a editora HarperCollins publicar em larga escala, ou mesmo alguma das editoras brasileiras que publicam oficialmente as obras de Tolkien.

O livro de A História de Kullervo estaria dentro do mesmo padrão dos já publicados A Lenda de Sigurd e Gudrun, A Queda de Artur e Beowulf tradução e comentários. Que são livros que mostram estudos acadêmicos e exercícios criativos do Tolkien com outras mitologias que influenciaram direta ou indiretamente suas obras.

Capa de A História de Kullervo a ser publicado em 27 de agosto de 2015

Capa de A História de Kullervo a ser publicado em 27 de agosto de 2015

Em 1 de dezembro de 2014, tive as primeiras informações de que o livro A História de Kullervo seria publicado em 27 de agosto de 2015 pela editora HarperCollins.

Tendo em vista que se publicado pela editora HarperCollins o livro poderia então ser também publicado no Brasil por uma editora oficial, o projeto já não precisaria mais ser publicado por ter atingido o seu objetivo. Além disso, haveria a possibilidade de coexistir duas traduções oficiais de um mesmo texto de Tolkien no Brasil, o que considero não ser algo interessante.

Estava (e ainda estou) certo de que ao ser publicado no Brasil o livro terá a devida atenção dos tradutores, em especial o Ronald Kyrmse, que já vem desenvolvendo um trabalho de excelência nas várias traduções para o Português.

Então ao saber dessa pretensão da HarperCollins fiquei emocionado, pois creio que meu projeto contribuiu para que o livro fosse publicado em larga escala e agora todo o mundo poderá ler os escritos de Tolkien que geraram seu legendarium.

Então decidi enviar um email para os advogados da Tolkien Estate procurando saber mais sobre essa publicação pela HarperCollins. Me informaram que:

“A editora do livro a Verlyn Flieger já havia proposto a publicação dos textos em forma de livro há alguns anos e que recentemente esse projeto foi levado adiante” (“The editor, Verlyn Flieger, proposed its publication as a book some years ago, though her proposal was only taken up by the Tolkien Estate relatively recently”).

Quanto ao nosso projeto iniciado em 2013, eles declaram que nosso projeto teve uma contribuição dentro da possibilidade de ser publicada a obra no Brasil:

“Contudo, seu interesse nessa obra, que foi comunicado aos editores britânicos da HarperCollins, irá certamente contribuir para a perspectiva da tradução da obra em Português para os leitores brasileiros pelas editoras locais parceiras da HarperCollins” (“However, your interest in the work, which was communicated to the UK publishers, HarperCollins, will, I’m sure, have contributed to the prospect of the translation of the work into Portuguese for Brazilian readers by HarperCollins’ local publishing partners”).

Então, ao que parece o nosso projeto serviu como uma forma de acender essa ideia entre a Tolkien Estate e a editora britânica HarperCollins. E ainda mais quanto a possibilidade de se publicar o livro em Português para os leitores brasileiros.

Existem ainda outros projetos que estou desenvolvendo, e que certamente serão encaminhados para a apreciação da Tolkien Estate. Porém, são menos audaciosos do que o projeto de A História de Kullervo.

Em correspondência com a Priscilla Tolkien (filha do professor J.R.R. Tolkien), tratei sobre esses projetos futuros. E nessa oportunidade ela enviou uma mensagem aos brasileiros e permitiu que fosse publicado no site tolkienbrasil.com:

“Saudações a todos os admiradores do meu pai, as obras de J.R.R. Tolkien. Estou contente que há tantas pessoas no Brasil que amam e gostam de suas histórias. É um extraordinário tributo aos seus dons como escritor e ilustrador que seus trabalhos tem tocado tanto as vidas das pessoas pelo mundo.”(“Greetings to all admirers of my father, J.R.R. Tolkien’s works. I am delighted that there are so many people in Brazil who love and enjoy his stories. It is a remarkable tribute to his gifts as writer and illustrator that his work has touched so many people’s lives throughout the world.”) (22 de dezembro de 2014)

Devo agradecer a todos que participaram do projeto com boa disposição e que em projetos futuros poderão ser novamente contatados, pois temos o sincero objetivo de promover as obras desse grande escritor no Brasil e no mundo.

Eduardo O. F.

Administrador do site Tolkien Brasil

02 de Julho de 2015

——————————

O anuncio oficial e mais informações sobre o livro pode ser lido em nossa publicação datada originalmente de 8 de Junho de 2015 aqui: Novo livro de Tolkien “A História de Kullervo” será lançado em agosto!

Sobre a carta da Priscilla Tolkien com a mensagem aos brasileiros aqui:Uma saudação de Priscilla Tolkien para os brasileiros! e a versão em inglês publicado no site da The Tolkien Society aqui: A message from Priscilla Tolkien to Brazilian fans

—————————————–

A versão em Italiano desse artigo pode ser encontrada no blog pessoal de Oronzo Cilli:La storia di Kullervo e il contributo brasiliano per la pubblicazione! E c’è anche un pezzo d’Italia

 Em que ele escreveu uma nota sobre o projeto e sua participação:

“Nel 2014 sono stato invitato a collaborare in un gruppo di lavoro internazionale che aveva come obiettivo quello di pubblicare il testo di Tolkien La Storia di Kullervo (The Story of Kullervo) pubblicato solo nel 2010 sulla rivista Tolkien Studies e curata dalla studiosa Verlyn Flieger. Il gruppo, coordinato da Eduardo Ferreira, vedeva coinvolti studiosi tolkieniani come la stessa Flieger, John Garth, Christina Scull, Wayne G. Hammond, il magnifico artistaJay Johnstone, traduttori e accademici brasiliani. L’idea era di pubblicare un’edizione in sole 100 copie bilingue, portoghese e inglese, destinato a diversi studiosi tolkieniani. A me il compito di scrivere l’Introduzione. Purtroppo la pubblicazione, quasi completa, non vedrà la luce poiché, come alcuni di voi sapranno, ne uscirà una curata dalla stessa Flieger per l’HarperCollins. Mi spiace che questo progetto non sia giunto – almeno per ora – alla pubblicazione, ma non posso nascondere che l’esser stato coinvolto in un gruppo di lavoro di questa portata non può che inorgoglirmi. Un’esperienza utile ad allacciare rapporti che hanno già messo in cantiere idee su progetti futuri sempre dedicati al nostro caro Tolkien. Riporto di seguito la traduzione del lungo articolo che Eduardo Ferreira ha scritto per il suo sitoTolkienBrasil (qui nella versione originale in portoghese) nel quale spiega la genesi del nostro progetto e comunque la sua, e mia, soddisfazione nel vedere a breve pubblicato questo “inedito” di Tolkien. Un testo che, secondo alcune fonti molto attendibili (e non aggiungo altro), dovrebbe presto vedere una traduzione italiana.

Approfitto qui per ringraziare Eduardo e gli altri studiosi per la fiducia accordatami e soprattutto, per quella che doveva essere l’introduzione al testo, gli amici Greta Bertani e Paolo Simonetti.

Oronzo CIlli”

 ——————————

Para ler a versão em inglês desse texto publicada no site da The Tolkien Society acesse AQUI.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather