Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Uma homenagem a Jared Lobdell, PhD especialista em Tolkien

Carnegie Mellon University

by Eduardo Stark
(tolkienbrasil@gmail.com)

Tivemos a notícia de que Jared Lobdell, um dos maiores especialistas em Tolkien no mundo faleceu em 22 de março de 2019, aos 81 anos, em sua casa situada em Elisabethtown, Pensilvânia, Estados Unidos. A notícia veio de Elizabeth Schulz Brandt, sobrinha de Lobdell.

Desde que iniciamos uma amizade online, Jared Lobdell jamais se esquecia de gentilmente mandar uma mensagem em meu aniversário todo ano. Era a partir disso que conversas sobre Tolkien surgiam. Conversar com um leitor e especialista em Tolkien desde a década de 60 era como voltar no passado e na fonte primária do que pretendia saber. A gentileza e paciência de um senhor de idade respondendo a um jovem é algo singular.  Jared Lobdell não apenas nos ensinou coisas sobre Tolkien e C.S. Lewis, mas também indicou o caminho da boa virtude e dos bons estudos.  É por isso que dedicamos esse texto em sua homenagem e memória.

Jared Charles Lobdell (29 de novembro de 1937-22 de março de 2019) foi um escritor norte americano, com mais de trinta livros publicados e professor de Critica Literária (e diversos outras áreas). Em 1961 graduou-se na Yale University, época em que acabou conhecendo as obras de J.R.R. Tolkien e se tornou um dos assíduos leitores e escritores desde então.  Estudou MBA e MS na University of Wisconsin-Madison em 1966 e obteve o título PhD em Filosofia na Carnegie Mellon University em 1986.  Jared Lobdell teve grande apreço por línguas, muito por conta de sua influência tolkieniana, e por isso era fluente em diversas línguas como Francês, Inglês Antigo, Alemão, Latim e Grego. Lobdell foi professor na University of Wisconsin, Pace University, Washington & Jefferson, e várias outras instituições.


O contato de Jared Lobdell com o professor Tolkien

As primeiras leituras de O Senhor dos Anéis e o Hobbit agradaram Jared Lobdell. O jovem de mais de vinte anos desejava saber mais sobre os detalhes daquelas histórias fantásticas. Foi assim que conseguiu o endereço do professor Tolkien e enviou cartas. Naquela época o professor Tolkien ainda não era muito conhecido entre os norte-americanos. A onda de jovens leitores que surgiria nos anos seguintes era ainda algo impensável.

Em dezembro de 1963, o professor Tolkien escreveu uma carta para Jared Lobdell. Nessa carta, o professor trata sobre C.S. Lewis e suas qualidades como leitor. Um trecho da carta foi citado no artigo de Lobdell “C.S. Lewis’s Ransom Stories and Their Eighteenth-Century Ancestry” (página 230), publicado no livro “Word and Story in C.S. Lewis”.

O contato com o escritor foi constante e Lobdell recebeu novas cartas. Em 31 de julho de 1964, Tolkien escreveu a respeito de um provérbio usado em O Senhor dos Anéis.

Em 1966, Jared Lobdell escreveu seu primeiro ensaio sobre as obras de Tolkien com o título “Words That Sound like Castles” para a Rally Magazine, um periódico para jovens conservadores que publicado entre 1964 a 1967. O editor da publicação Timothy J. Wheeler  encaminhou exemplar para o próprio Tolkien que ficou satisfeito com o trabalho.

Mais tarde, o prévio contato com o Tolkien foi importante para estabelecer laços de amizade entre Lobdell e Christopher Tolkien, filho e editor das obras póstumas do autor do Hobbit. Foi estabelecida uma amizade entre os dois e promovido diversos encontros com fãs.

A Tolkien Compass, editado por Jared Lobdell


A importância do livro “The Tolkien Compass” editado por Jared Lobdell

Em 1975, Jared Lobdell compilou a primeira edição de “A Tolkien Compass: Fascinating Studies and Interpretations of J.R.R. Tolkien’s Most Popular Epic Fantasies” pela editora Open Court. Um livro que reúne diversos ensaios acadêmicos de diversos professores e escritores.

O livro “A Tolkien Compass” carrega em si dois elementos de importância. O primeiro é que se trata da primeira publicação de artigos acadêmicos reunidos em um livro feita por leitores admiradores de J.R.R. Tolkien. E segundo por conter o material do próprio Tolkien sobre a nomenclatura de seu mundo imaginário e como deveria ser nas traduções.

Conforme o prefácio de Tom Shippey, para a terceira edição do livro “A Tolkien Compass”, essa obra vem de uma época que ele chama de “Era da Inocência dos Estudos Tolkien”, por ser a primeira oportunidade que os “fans’ de Tolkien puderam ver seus trabalhos e opiniões reunidas e publicadas em forma de livro. Desde essa época o campo dos estudos tolkienianos avançou muito e atingiu um estágio considerável ao sair do amadorismo para algo mais técnico, e nisso o livro editado por Lobdell foi precursor.

Mas outro elemento da publicação que é relevante é o texto do Tolkien “Guide to the Names in The Lord of the rings”, publicado pela primeira vez em “A Tolkien Compass”.

Em 1967, desejando evitar traduções de seus livros que alterassem as nomenclaturas de forma injustificada, o professor Tolkien escreveu um texto para enviar aos tradutores de línguas germânicas (alemão, dinamarquês etc). Nesse ensaio Tolkien apresenta as palavras que gostaria que fossem consideradas com aquelas informações de como deveria ser traduzida. Naquela mesma época, Vittoria Alliata de Vilafranca foi contratada para traduzir O Senhor dos Anéis para a língua italiana. Ela teve acesso aos escritos do Tolkien sobre a nomenclatura que foram enviados pela editora para servir de base para os nomes. Esse mesmo material foi devolvido para a editora italiana após o termino da tradução. Sobre como teve acesso aos textos do Tolkien, Jared Lobdell nos respondeu da seguinte forma: “As Notas [do Tolkien] foram feitas para um tradutor italiano, cujo nome eu nunca soube. Então elas foram passadas para mim por meu amigo Dr. Jules Wright, já falecido há muito tempo, que eventualmente ensinava línguas românicas em uma universidade canadense”.[1]

De posse desse material, Jared Lobdell entrou em contato com Christopher Tolkien, herdeiro literário de seu pai, para que pudesse ser publicado no livro “A Tolkien Compass”. Christopher não apenas atendeu o pedido de autorizar a publicação, como também se tonou o editor do material que deu o nome de “Guide to the Names in The Lord of the rings”. (ver. SCULL, HAMMOND, The Lord of the Rings, A Reader’s Companion, página 751).

No prefácio do livro “A Tolkien Compass”, Jared Lobdell expressa os agradecimentos ao Christopher Tolkien:

O Apêndice traz o título “Guia dos Nomes em O Senhor dos Anéis” e o autor é o próprio Professor Tolkien. Essas notas foram preparadas para tradutores e aparecem essencialmente na forma em que deixaram a máquina de escrever do professor Tolkien; O Sr. Christopher Tolkien executou habilmente as tarefas editoriais necessárias para esse “grande homem, mas dilatador e não-metódico”. Quero agradecer ao Professor Jules Wright da Universidade de Guelph por trazer essas notas até mim e agradecer aos Srs. George Allen & Unwin (na pessoa do Sr. Rayner Unwin) e os executores do espólio de J.R.R. Tolkien (na pessoa do Sr. Christopher Tolkien) pela permissão para publicá-los. (A Tolkien Compass, 1975, página 7).[2]

Desde então, o livro “The Tolkien Compass” foi considerado referência por Christopher Tolkien nas notas do livro “Contos Inacabados” (ver tópico 6, página 506, da edição brasileira, Martins Fontes, 2002) e também em “As Cartas de J.R.R. Tolkien”. A Seguir uma breve lista de referências das obras editadas por Christopher Tolkien, na série História da Terra-média, onde cita o trabalho de Jared Lobdell:

  • “The Lost Road” (history of middle-earth volume 5, página 390),
  • “The Returno f the Shadow” (history of middle-earth, volume 6, página 131),
  • “The war of the Ring” (history of middle-earth, volume 8, página 265, 267),
  • “The War of the Jewels” (history of middle-earth volume 11, página 337).

Em diversos livros renomados sobre Tolkien pode ser vista alguma referência ao livro de Jared Lobdell. No livro “The Annotated Hobbit” (prefácio, página XII, 267, 396) editado por Douglas A. Anderson o livro “The Tolkien Compass” é colocado como uma das principais referências com conteúdo sobre Tolkien. Também é referência no livro “The History of the Hobbit” editado por John D. Rateliff (página 185, 516, 543,565, 740) e vários outros.

Em 2003, percebendo erros que ocorreram no texto para a primeira edição, equívocos relacionados a datilografia do texto, a Tolkien Estate  decidiu retirar a autorização de publicação para novas edições de “A Tolkien Compass”. A ideia seria a de preparar uma nova publicação com as devidas correções, o que ocorreu em 2006 com a publicação do “Nomenclature of the Lord of the Rings” no livro “The Lord of the Rings: A Reader’s Companion” editado por Christina Scull e Wayne Hammond.

Uma vida de estudos tolkienianos

Ao longo da vida, Jared Lobdell escreveu diversos ensaios e livros relacionados à vida e obra de J.R.R. Tolkien. Em 1981 publicou o livro “England and Always: Tolkien’s World of the Rings”. Mais tarde, em 2004, Lobdell escreveu “The World of the Rings: Language, Religion, and Adventure in Tolkien”. E no ano seguinte publicou “The Rise of Tolkienian Fantasy”.

Em 2006, Lobdell contribuiu com diversos verbetes na enciclopédia tolkiniana editada por Michael D.C. Drout, intitulada “The J.R.R. Tolkien Encyclopedia: Scholarship and Critical Assessment”. Em 2010, Lobdell escreveu um ensaio para o livro “Light Beyond All Shadow”. E em 2016 escreveu dois ensaios para o livro “Laughter in Middle-earth: Humour in anda round the Works of J.R.R. Tolkien”.Durante vários anos organizou eventos e apresentou conferências sobre os Inklings.

 O impacto de Jared Lobdell entre os brasileiros

Em 2018 a editora Harper Collins Brasil adquiriu os direitos das obras do Tolkien no Brasil e iniciou trabalhos de retraduzir as obras do professor. Ocorre que foram notados diversos erros de tradução, sobretudo na substituição de “Orc” por “orque” e “Goblin” por “Gobelim”.

Cumprindo o seu papel de pesquisar o assunto, o site Tolkien Brasil publicou uma série de artigos sobre o tema, onde foram mostradas as citações do Tolkien e o que ele pretendia. Assim, em nossa pesquisa consultamos vários tradutores e especialistas em Tolkien de diversas nacionalidades. Jared Lobdell foi o mais impactante pelo fato de ser o editor do Guia para tradutores e por conhecer profundamente as obras do Tolkien por mais de 60 anos de sua vida. Ao ser indagado se as escolhas de “Orque” (palavra que não existe no Português) e Gobelim (em Português significa um tipo de tapeçaria francesa), Lobdell foi categórico em sua afirmação de que não foi uma escolha correta diante das diretrizes dadas por Tolkien. Conforme ele respondeu:

“Provavelmente Ork seria melhor. Tolkien sugeriu manter Orc (ou Ork). Não confundir com o monstro marítimo “Orca”. Quanto a “Goblin”, fique longe de tapeçarias ou carpetes. Deve existir uma palavra em Português para essa criatura, mas você deve procurar. Não conheço ninguém que tenha traduzido foneticamente tais palavras”.

A afirmação de Lobdell está no mesmo caminho que outros especialistas em Tolkien disseram e também no que a tradutora Vittoria Alliata, que teve contato com o Tolkien sobre as traduções, havia também afirmado. Contudo, a editora Harper Collins Brasil decidiu permanecer com os termos errados em suas publicações.

Um dos tradutores da Harper Collins Brasil, de forma vergonhosa, em postagem no facebook apresentou uma desinformação (ou seria fake news?) na tentativa de desqualificar o trabalho de Jared Lobdell. Ele afirma que a publicação do Guia para Tradutores na edição de Jared Lobdell teria sido feita de forma ilegal. Conforme afirma:

“O Guia foi publicado pela primeira vez no livro “A Tolkien Compass” (1975), livro editado por Jared Lobdell. Mas o Guia (editado unicamente por Christopher Tolkien) foi publicado sem autorização, pois seus direitos pertenciam ao Tolkien Estate, que entrou com uma reclamação legal. Por isso o Guia foi retirado das edições seguintes de “A Tolkien Compass”, que era basicamente um livro com uma coleção de artigos de várias pessoas”. (Tradutor mal informado da Harper Collins Brasil em postagem do dia 9 de abril de 2019)

A postagem foi compartilhada por diversas páginas sujeitas à editora Harper Collins Brasil, sem nenhuma se quer verificar a informação errada escrita pelo tradutor, sendo assim a difamação foi espalhada em diversas redes tolkienianas no Brasil. Assim, o tradutor da Harper Collins Brasil erra mais uma vez sem verificar as fontes e sem analisar racionalmente o que pretende publicar. Tentando difamar o trabalho de um dos maiores tolkinistas no mundo.

Jared Lobdell será lembrado por suas contribuições acadêmicas e para nós será lembrado como um dos grandes especialistas que formaram a base do conhecimento tolkieniano e não há ninguém que possa mudar o seu passado de boas contribuições. Jared Lobdell faleceu em 22 de março de 2019, aos 81 anos, sendo quase 60 anos dedicados ao estudo das obras de J.R.R. Tolkien e de trabalhos acadêmicos.

——-

NOTAS:

[1] Conversa privada com Eduardo Olifer, fundador do site Tolkien Brasil.

[2] The Appendix bears the title “Guide to the Names in The Lord of the Rings” and the author is Professor Tolkien himself. These notes were prepared for translators and appear essentially in the form in which they left Professor Tolkien’s typewriter; Mr. Christopher Tolkien has ably performed the necessary editorial chores for that “great but dilatory and unmethodical man.” I wish to thank Professor Jules Wright of the University of Guelph for calling these notes to my attention, and to thank Messrs. George Allen & Unwin (in the person of Mr Rayner Unwin) and the executors of the estate of J.R.R. Tolkien (in the person of Mr. Christopher Tolkien) for permission to publish them. (A Tolkien Compass, 1975, página 7).

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: