Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Os significados de Earendel, a palavra que originou a mitologia Tolkieniana

 

by Eduardo Stark

Ao encontrar as palavras de Cynewulf Tolkien ficou maravilhado com a sua multiplicidade de significados e com a beleza sonora da palavra Earendel. Dessas palavras ele buscou conhecer o seu real significado e a partir delas seu legendarium se formou.

A palavra “Earendel” é como uma semente de histórias que estavam guardadas a espera de um jardineiro que pudesse cuidar dela a ponto de poder crescer e se tornar uma árvore frondosa. Ou mesmo, seria um rabisco que traria a imagem de uma pintura de uma árvore em um quadro. Seus primeiros ramos estavam sendo rascunhados.

Tendo essa importância fundamental, se faz necessário ver esses significados tanto no plano externo quanto no interno do legendadium. Primeiramente uma análise dos significados em nosso mundo e em seguida o significado dentro do próprio universo de Tolkien.

O significado de Earendel 

A palavra “Earendel” tem a característica de ser polissêmica, ou seja, tem mais de um significado aplicado a contextos diferentes. Isso se deve a utilização da palavra em sentido simbólico ou metafórico em escritos medievais.

Ao analisar as origens e significados da palavra Earendel o autor de O Senhor dos Anéis sugere o significado de ‘aurora’ ou um nome próprio para o João Batista do Novo Testamento:

Sua mais primitiva forma a-s registrada é earendil (oer-), posteriormente earendel, eorendel. Principalmente em notas sobre jubar=leoma; também sobre aurora. Mas também em Hom[ilias] Blick[ling] 163, se níwa éorendel, apl. A S. João Batista; e de forma mais notável Crist 104, éala! éarendel engla beorhtast ofer middangeard monnum sended. Frequentemente se supõe que se refere a Cristo (ou Maria), mas a comparação com as Homs. BI. sugere que se refere ao Batista. Os versos referem-se a um arauto e mensageiro divino, claramente não o sodfaesta sunnanleoma = Cristo. (Carta 297 Rascunhos para uma carta para o “Sr. Rang” ago. de 1967).

Interessante notar que o primeiro nome de Tolkien é “John”, que é o equivalente a João em Português. E pelo fato de ter nascido na oitava de São João, o evangelista, ele considerava esse como sendo o seu patrono, embora seus pais não tivessem dado esse nome pensando nessa ideia tão católica. Certamente essa conexão de nomes não interferiu no julgamento de Tolkien ao definir que Earendel tem o significado relacionado a João Batista, que é diferente daquele que ele considerava ser devoto.

Além desses significados acredita-se que “Earendel” fora originalmente o nome da estrela que anuncia a aurora, isto é, Vênus. Como Tolkien explica, o nome também parece ser aplicado “às vezes à estrela-d’alva, um nome de conexões mitológicas ramificadas (agora obscuras em sua maioria)”. (Carta 131, MiltonWaldman, 1951).

Richard North, dando o significado da palavra “eorendel”, apresenta as mesmas interpretações que o Tolkien fez da palavra, especificamente em relação a ela possuir relação com a figura do João Batista:

Eorendel. Cognato com Eostre são os primeiros elementos de três formas germânicas: Inglês Arcaico eorendel; o nórdico Aurvandill, cuja história é evidenciada de uma conexão entre deuses e constelações na mitologia nórdica, e Orendel, um herói cujas aventuras ocorrem no Oriente, em um romance do Médio-Alto-Alemão do século XII. Existem seis casos sobreviventes do Inglês Arcaico eorendel (variantes oerendil, earendil e earendel). Em dois desses casos, eorendel glosa Lat aurora (‘amanhecer’); Em dois mais, Lat iubar (‘radiante’). Em mais um exemplo, em Christ 104-7, Jesus é invocado como “estrela da manhã, o mais brilhante dos anjos” (earendel, engla beorhtast), enviado sobre a terra para os homens, além de ser o “verdadeiro raio do sol, deslumbrante acima de todas as estrelas” (soðfæsta sunnan leoma, torht ofer tunglas), cuja luz ilumina cada era. Aqui o poeta, sem uma consideração exata para a astronomia, parece combinar tanto a estrela da manhã (isto é, Vênus como se eleva um pouco antes do sol em certos momentos) e os raios do sol na pessoa de Jesus. Em Christ 104, earendel provavelmente denota a “estrela da manhã” e nas Homilias Blicklings do século X, João Batista em seu nascimento é chamado tanto de “a nova estrela da manhã” (se niwa eorendel) quanto “o raio do verdadeiro sol”, assim como ele é o precursor de Jesus. Neste caso, o eorendel parece descrever um planeta, provavelmente Vênus, preparando o caminho para o sol (NORTH, p.228-229).

Como visto, vários significados podem ser atribuídos a essa mesma palavra, sendo uma infinidade de possibilidades. Existem três grandes divisões que pode ser feita quanto a esses significados da palavra. Primeiramente em relação ao aspecto mitológico, em seguida aspecto religioso e por último astrológico. Abaixo estão os principais tópicos que podem ser analisados com um grau de relevância:

Relação mitológica:

1 – Aurvandil –
2 – Orendel – herói  do século XII
3 – Horwendill

Relação religiosa:

1 – Jesus Cristo – estrela da manhã
2 – João Batista – a nova estrela da manhã, precursor de Jesus
3 – Maria – a mãe de Jesus, geradora de Jesus

Relação com os astros:

1 – Eorendel (oerendil, earendil e earendel) – Em Inglês antigo ‘amanhecer’, ‘radiante’.
2 – Vênus ou Estrela D’alva – que antecede a vinda do sol
3 – Uma estrela da constelação de Orion

Embora a palavra possa ter outros significados que não estejam elencados acima, todos esses, de certa forma, se ligam pela ideia de algo que traz “luz”, algo “iluminado”.

 

Relação mitológica:

Existem diversas relações com mitologias e contos que podem ser observadas. Inicialmente há a relação com a palavra Aurvandil, que é mencionada na mitologia Nórdica, no Skáldskaparmál, um texto do Edda em Prosa de Snorri Sturluson:

Thor foi para Thrudvangar, e a pedra de amolar permanecia presa em sua cabeça. Então veio a mulher sábia (Volva) que era chamada Gróa, esposa de Aurvandill, o Valente. Ela cantou seus feitiços sobre Thor até que a pedra se afrouxou. Mas quando Thor percebeu isso, pois pensava que não houvesse esperança de que a pedra pudesse ser removida, desejava recompensa-la dando a ela um presente para sua alegra. E disse-lhe estas coisas: que ele tinha passado pelo norte sobre o córrego gelado e carregou Aurvandill em uma cesta nas costas, do norte até Jotunheim. E acrescentando disse que um dos dedos do pé de Aurvandill tinha furado o cesto e saído ficando congelado. Portanto, Thor quebrou-o e lança-o no céu e fez a estrela chamada “ponta de Aurvandill”. Thor disse que não demoraria muito até Aurvandill voltar para casa, mas Gróa ficou tão alegre que esqueceu seus encantamentos, e a pedra não foi afrouxada, e está ainda na cabeça de Thor. Por isso, é proibido lançar uma pedra de amolar no chão, pois a pedra na cabeça de Thor se agitará.

Observa-se a relação de Aurvandill com uma estrela, assim como os outros significados do nome. Sobre isso Jacob Grimm apresenta seus comentários:

Mas o Edda tem outro mito, ao qual se aludiu ao falar da pedra na cabeça de Thôrr. Grôa está ocupada com seu feitiço mágico, quando Thôrr, para recompensá-la pela cura que se aproxima, transmite a notícia de boas-vindas, que, vindo de Iötunheim, no Norte, ele carregou seu marido Örvandill ostensivo numa cesta nas costas e ele tem certeza que estará em casa em breve; Ele acrescenta, que o dedo do pé de Örvandil tinha saído da cesta e ficou congelado, o quebrou e jogou no céu e fez uma estrela dele, que é chamada de Örvandils-tâ. Mas Grôa em sua alegria com a notícia esqueceu seu feitiço, então a pedra na cabeça do deus nunca se soltou, Sn. 110-1. Grôa, o crescimento, a grama verde, é equivalente a Breide, ou seja, Berhta (p.227), a brilhante. Outra parte de sua história que está relacionada aqui: Örvandill deve ter voltado a suas viagens e nesta segunda aventura perdeu o dedo do pé que Thôrr colocou no céu, embora o que ele tinha a ver com o deus não é dito claramente. (GRIMM, Jacob, Teutonic Mythology Volume I, p.374-376).

Suposições quanto à identidade desta estrela incluem o planeta Vênus, Sirius e a estrela Rigel que forma a ponta da constelação Orion, embora Aurvandil deve ser identificado com a constelação de Orion, pode-se esperar que Aurvandil seja traduzido como a constelação e não apenas uma ponta.

Além de significar uma divindade (gigante ou deus nórdico), existe também a relação com o herói mitológico germânico Orendel. Segundo Jacob Grimm ele é o primeiro dos heróis mitológicos, sendo até similar na mitologia de Tolkien que iniciou suas história com Earendel, o seu primeiro herói:

Nós preservamos um poema de certa forma rudimentar, certamente encontrado em um material muito antigo, sobre um rei Orendel ou Erentel, a quem o apêndice ao Heldenbuch pronuncia o primeiro de todos os heróis que já nasceram. Ele sofre um naufrágio em uma viagem, se abrigou com um mestre pescador Eisen, ganha o casaco sem emenda de seu mestre e, depois, conquista a Breide, a mais bela das mulheres, o rei Eigel de Trier era o nome de seu pai. Todo o tecido da fábula lembra a Odisseia: o homem naufragado se apega à prancha, escava um buraco, segura um ramo diante dele; Mesmo o casaco sem costura pode ser comparado ao véu de Ino, e o pescador aos suínos, os templários da dama Breide seriam os pretendentes de Penélope, e os anjos são enviados com frequência, como os mensageiros de Zeus. No entanto, muitas coisas assumem uma direção diferente, mais na moda alemã, e incidentes são adicionados, como a colocação de uma espada descoberta entre o casal recém-casado, que a história grega nada sabe. O nome do herói é encontrado mesmo em OHG [Old High German – Antigo Alto Alemão]. Documentos: Orendil, Meichelb. 61; Trad. Fuld. 2, 24. 2, 109 (Schannat 308); Orendil um conto bávaro (an. 843 em Eccard’s Fr. or. 2, 367); Uma aldeia Orendelsal, agora Orendensall, em Hohenlohe, v. Haupts zeitschr. 7, 558. (GRIMM, Jacob, Teutonic Mythology Volume I, p.374-376).

Orendel tem uma relação com o viagem ao mar e com a luz, em especial relacionando o seu nome a sua esposa Breide (brilhante). Continuando, Grimm ressalta que Orentil pode ter também relação como um Deus, sendo companheiro do Deus do Trovão, assim como Aurvandill também o era:

Mas volto para Eigil. Possivelmente, Orentil foi o companheiro do Deus do trovão em expedições contra gigantes. Será que a história das viagens de Orentil é tão antiga entre nós, que em Orentil e Eigil de Trier estamos encontrando Ulysses e Laertes a quem Tacitus colocou em nossa Rhine? O nome não mostra nada em comum. (GRIMM, Jacob, Teutonic Mythology Volume I, p.374-376).

Essa última observação de Jacob Grimm é interessante por mostrar que a mitologia germânica de Orentil ou Orendel, embora tenha semelhanças com a história da Odisseia, em termos de línguas os nomes não tem relação alguma.

Além dessas relações, existe também o personagem Horwendill, que aparecem em Chronicon Lethrense e Gesta Donorum de Saxo Grammaticus, sendo uma fonte de inspiração para o Hamlet de William Shakespeare.

 orendel

Relação religiosa:

Além dos significados relacionados a mitologias germânicas antigas, o nome Earendel tem o seu significado cristão. Inicialmente está presente no Exeter Book, em Christ de Cynewulf. Jacob Grimm anota o seguinte:

Sem questionamento, o nome do grupo estelar brilhante é referido, nas glosas em AS [Anglo-saxão] trocando “jubar” por Earendel, e um hino à Virgem Maria no Cod. Exon. 7, 20 apresenta a seguinte passagem:

”Eala Earendel, engla beorhtast,
ofer middangeard monnum sended,
and sôðfæsta sunnan leoma
torht ofer tunglas, þu tîda gehwane
of sylfum þe symle inlîhtes!”

i.e., O jubar, angelorum splendidissime, super orbem terrarum hominibus misse, radie vere solis, supra stellas lucide, qui omni tempore ex te ipso luces! Maria ou Cristo está aqui endereçado sob o nome pagão da constelação. Só tenho dúvidas quanto à ortografia e interpretação corretas da palavra; em OHG. (GRIMM, Jacob, Teutonic Mythology Volume I, p.374-376)

Nota-se a possibilidade da palavra significar o próprio Jesus Cristo, tendo em vista diversos versículos bíblicos que implicam em afirmar que seja a estrela da manhã.

Pedro escreve sobre Jesus como a Estrela da Manhã em 2 Pedro 1:19 “E temos ainda mais firme a palavra profética à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma candeia que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça e a estrela da alva surja em vossos corações”.

Assim também faz o livro de Apocalipse menciona Jesus como a Estrela da Manhã, em Apocalipse 22:16: “Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã”.

O livro de Apocalipse também apresenta que Jesus irá iluminar o mundo: “E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de luz de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os alumiará; e reinarão pelos séculos dos séculos” (Apocalipse 22:5).

O escritor do Apocalipse revela o seguinte: “Nela não vi santuário, porque o seu santuário é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. A cidade não necessita nem do sol, nem da lua, para que nela resplandeçam, porém, a glória de Deus a tem alumiado, e o Cordeiro é a sua lâmpada. As nações andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória. As suas portas não se fecharão de dia, e noite ali não haverá; e a ela trarão a glória e a honra das nações” (Apocalipse 21:22-26).

Outro significado possível é que seria a virgem Maria, por ser a geradora do Cristo e por isso a primeira luz antes do nascer do Sol. O nome também pode ser associado com o João Batista, por ser considerado a nova estrela da manhã que anuncia a vinda do messias, tal como nascimento do sol no horizonte.

jesus retratado como a estrela da manhã em manuscrito medieval

jesus retratado como a estrela da manhã em manuscrito medieval

Relação com os astros:

Earendel se relaciona o astro solar, por isso é traduzido como “sol nascente”. Em outras traduções também é identificado com a estrela Vênus, que em alguns momentos antecede o nascimento do Sol.

Além disso, sua forma sugere fortemente que em origem foi um nome próprio e não um substantivo comum. Isso é sustentado pelas formas obviamente relacionadas em outros idiomas germânicos, a partir dos quais, entre as confusões e corrupções de tradições tardias, ao menos parece certo que ele pertencia a mitos astronômicos e era o nome de uma estrela ou grupo de estrelas. Na minha opinião, os usos a-s parecem indicar claramente que era uma estrela que anunciava o amanhecer (ao menos na tradição inglesa): isto é, aquela que agora chamamos de Vênus — a estrela d’alva tal como pode ser vista reluzindo brilhantemente na aurora, antes do nascer do Sol propriamente dito. De qualquer modo, é como o compreendi. (Carta 297 Rascunhos para uma carta para o “Sr. Rang” ago. de 1967)

Há também uma relação com a constelação de Orion ou Orionte, que está localizada no equador celeste e, por este motivo, pode ser vista praticamente em todas as partes habitadas do mundo. Além de outros estudos que podem ser observados nos escritos de Jacob Grimm:

Ôrentil implica AS. Eárendel, e os dois exigem ON [Old Norse – Nórdico Antigo]. Aurvendill, eyrvendill. Mas se começarmos com ON. Örvendill, então AS. Earendel, OHG. Erentil pareceria preferível. A última parte do composto certamente contém entil = wentil. A primeira parte deve ser ôra, eáre (auris), ou então ON. Ör, gen. Örvar [[seta]] (sagitta).Agora, como ocorre em um conto em Saxo Gram., p. 48, um Horvendilus filius Gervendili, e em OHG. Um nome Kêrwentil (Schm. 2, 334) e Gêrentil (Trad. Fuld. 2, 106), e como geir (hasta) concorda melhor com ör do que com eyra (auris), a segunda interpretação pode comandar o nosso consentimento. Uma visão da lenda completa explicaria o motivo do nome. Eu acho que o pai de Orentil também merece atenção: Eigil é outro nome antigo e obscuro, por exemplo, por um abade de Fulda, que morreu em 822 (Pertz 1, 95. 356. 2, 366. Trad. fuld. 1, 77-8. 122). No Reno-Mosela? O país é o singular Eigelsteine, Weisth. 2, 744 (ver Suppl.). Em AS. Encontramos o nome Aegles burg (Aylesbury), Aegles ford (Aylesford), Aegles þorp. (GRIMM, Jacob, Teutonic Mythology Volume I, p.374-376).

Em relação a etimologia, a palavra anglo-saxã “Earendel” parece ter sua origem relacionada com a palavra da língua proto-germanica *Auziwandilaz, sendo uma fusão das palavras *auzi (“amanhecer, raiar,) e *wandilaz (“flutuante, vagante”), talvez via as formas intermediárias *Ēarwendel ou *Ēarwandel. A palavra *Auziwandilaz também foi a origem de Erentil ou Orentil em Antigo Alto-Alemão, Auriwandalo na línguas dos Lombardos, Aurvandil em Nórdico Antigo e Auzandil em Gótico.

"Groa's Incantation" (1908) arte de W. G. Collingwood.

“Groa’s Incantation” (1908) arte de W. G. Collingwood.

O significado de Earendil no mundo mitológico de Tolkien

Importante ser observado que mesmo tendo escrito esse poema sobre um personagem protagonista de suas histórias, ele só passou a fazer parte do legendarium, do conjunto de histórias mitológicas, posteriormente através de sua adoção. Afinal Tolkien ainda não sabia o verdadeiro significado de Earendel e de certa forma ainda não tinha uma consciência de construir um mundo ficcional, conforme escreveu:

Antes de 1914, escrevi um “poema” sobre Earendel que lançava seu navio como uma centelha brilhante dos portos do Sol. Adotei-o em minha mitologia — na qual ele tornou-se uma figura principal como um marinheiro, e eventualmente como uma estrela anunciadora e um sinal de esperança aos homens. Aiya Eärendil Elenion Ancalima (II 329) “salve Earendil, a mais brilhante das Estrelas” é remotamente derivada de Éala Éarendel engla beorhtast. (Carta 297 Rascunhos para uma carta para o “Sr. Rang” ago. de 1967)

Assim, dentro da própria mitologia Tolkieniana o significado do nome Earendel se tornou diferente. Não tem mais relação com o advento de cristo ou mesmo sua simbologia mitológica germânica. Agora a palavra passa a ser vista dentro do contexto do mundo subcriado.

Quando Tolkien escolhia uma palavra para colocar em seu mundo, normalmente ela perdia o seu vinculo com a nossa realidade para ser inserida dentro do contexto de significado do seu mundo.

No caso da palavra “Earendel”  foi adotada em seu mundo, mas o seu significado não é o mesmo, o que se aproveitou foi apenas o aspecto estético sonoro. A única relação que há de significado é a ideia de estrela da manhã com o personagem que na história traz essa ideia. Conforme Tolkien diz:

A “fonte”, caso haja alguma, forneceu unicamente a sequencia sonora (ou sugestões para o estímulo desta), e seu propósito na fonte é totalmente irrelevante, exceto no caso de Earendil (Carta 297 Rascunhos para uma carta para o “Sr. Rang” ago. de 1967)

 

O final da palavra foi alterado e a palavra ficou como “Earendil”, deixando de ser uma palavra anglo-saxã e se torna uma palavra élfica, como Tolkien atesta: “Na realidade, seu nome é Élfico e significa o Grande Marinheiro ou Amante-do-Mar” (Carta 131, MiltonWaldman, 1951). Em carta Tolkien explica a etimologia élfica para essa palavra e como ele fez a alteração para adotá-la:

Mas o nome não podia ser simplesmente adotado dessa forma: ele tinha de ser acomodado à situação linguística Élfica, ao mesmo tempo em que um lugar para essa pessoa era criado nas lendas. Disso, há muito tempo na história do “Élfico”, que após muitos começos experimentais na mocidade estava começando a tomar uma forma definida à época da adoção do nome, eventualmente surgiu (a) o radical E.C. *AYAR “Mar”, aplicado primeiramente ao Grande Mar do Oeste, que se situava entre a Terra-média e Aman, o Reino Abençoado dos Valar; e (b) o elemento ou base verbal (N)DIL, “amar, ser devotado a” — que descreve a atitude de alguém a uma pessoa, coisa, curso ou ocupação ao qual se dedica por conta própria. (Carta 297 Rascunhos para uma carta para o “Sr. Rang” ago. de 1967)

Assim, Earendil na mitologia de Tolkien está relacionada com um personagem. Mas sua relação com a estrela d’alva parece permanecer, tendo em vista que “O navio de Earendil, adornado com a última Silmaril, é colocado no céu como a mais brilhante das estrelas.” (Carta 131, para Milton Waldman).

Earendil por Jenny Dolfen

Earendil por Jenny Dolfen

O vínculo com o significado original, relacionado a figura de Jesus Cristo, ou mesmo João Batista ou qualquer relação com o nosso mundo deixou de ser observada, tendo em vistas aspectos da própria história de seu mundo que não se adequariam a essa forma de equiparação. Além do mais, Tolkien era contrário a qualquer forma de alegoria o que implica em afirmar que ele não tinha intenção de incluir um personagem com um significado relacionado a nosso mundo, conforme atesta:

O uso de éarendel no simbolismo cristão a-s como o arauto do nascimento do verdadeiro Sol em Cristo é completamente estranho ao meu uso. A Queda do Homem está no passado e fora de cena; a Redenção do Homem no futuro distante. Estamos em uma época em que a existência do Deus Único, Eru, é de conhecimento dos sábios, mas não está acessível exceto pelos ou através dos Valar, embora Ele ainda seja lembrado em preces (não-pronunciadas) por aqueles de origem Númenóreana. (Carta 297 Rascunhos para uma carta para o “Sr. Rang” ago. de 1967)

Pode-se verificar toda uma nova etimologia dentro do mundo de Tolkien para essa palavras. ëar “mar” (WJ:413), pl. ëari “mares” (FS, LR:47); Eär “o Grande Mar”, ablativo Eärello “do Grande Mar”, et Eärello “fora do Grande Mar” (EO). Em nomes como Eärendil “Amigo do Mar”, Eärrámë “Além do Mar (SA), Eärendur nome masc., *”Servo do Mar”; em efeito uma variante de Eärendil (Apéndice A). Usado como “marinheiro (profissional)”. Nome fem. Eärwen “Dama do Mar” (Silm). Eärnil nome masc., contração de Eärendil (Apéndice A).

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather
  • Daniel Henrique

    Eduado Stark dando mais uma vez um show de pesquisa nos deliciando com tantas informações. Espero um dia agregar tanto conhecimento quanto, e espero um dia que lance um livro com boa parte destas pesquisas.

    • Eduardo Oliferr

      Obrigado! Vamos ver o que iremos fazer com essas coisas por aí. rsrsrs