Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

J.R.R. Tolkien revela verdadeiro significado de ‘O Senhor dos Anéis’ em áudio inédito!

noble smith

Noble Smith, escritor, roteirista e produtor  é mais conhecido no Brasil por ser o autor do livro A Sabedoria do Condado, da editora novo conceito. @shirewisdom

Há mais de 20 anos atrás, uma gravação perdida de J.R.R.Tolkien foi descoberta em um porão em Rotterdam, mas o homem que a encontrou manteve a fita cassete escondida. Até recentemente, apenas ele havia escutado a gravação. Mas agora, eu sou um cara sortudo desses amantes da Terra Média que escutou a essa mágica fita magnética, e eu felizmente declaro que é incrível. Pois prova de uma vez por todas que o Professor Tolkien foi, de fato, muito mais o hobbit que todos nós suspeitávamos que ele seria. Mais ainda, nós podemos escutar Tolkien lendo um poema perdido na língua Élfica que ele traduziu para o inglês. E ainda por cima, ele estabelece em termos ambíguos (no fundo as trombetas da guerra de Rohirrim) o verdadeiro significado de O Senhor dos Anéis!

Sentiram calafrios fãs de Tolkien? Apenas espere até você poder escutar por si mesmo.

A gravação ocorreu em 28 de Março de 1958, em Rotterdam em um “Jantar Hobbit” realizado pelos editores de Tolkien holandeses e uma livraria. O próprio editor de Tolkien Allen e Unwin pagou por sua viagem para a Holanda para participar dessa festa especial. De acordo com suas cartas o escritor ficou encantado em perceber que Rotterdam estava cheia de pessoas “intoxicadas com hobbits”. Tolkien se apresentou em um salão lotado onde 200 fanáticos do hobbit tinham vindo para escutá-lo e a outros acadêmicos falando sobre a Terra Média.

O menu para o jantar foi caprichosamente Tolkienesco, com salada de ovos à La Cevado Carrapicho, legumes de Fruta d’Ouro e sopa de Larva (sopa de cogumelos, estranhamente nomeada em homenagem ao Fazendo Maggot [Maggot significa Larva]). E uma empresa de tabaco holandesa forneceu os tabletes com cachimbos de barro e tabaco rotulado como Velho Toby e Folha do Vale Comprido, que agradou Tolkien, um devotado na “arte” de fumar cachimbo de ervas.

Relatos do evento tem sido coletados ao longo dos anos, mas, infelizmente, ninguém se preocupou em transcrever exatamente o que Tolkien disse. Christopher Tolkien deve ter alguma das notas de seu pai para o discurso, porque uma breve passagem do discurso do Jantar Hobbit de Tolkien aparece na biografia de Humphrey Carpenter, embora de uma forma um pouco diferente. Felizmente agora sabemos que alguém tinha feito uma gravação completa do evento. Essa fita cassete foi descoberta em 1993 por um Holandês chamado René Van Rossenberg, um especialista em Tolkien que é dono de uma loja na Holanda dedicada a todas as coisas da Terra Média (TolkienShop.com).  Por que Rossenberg não mostrou isso para ninguém até agora?

“Como Smaug estou guardando meu tesouro, silvando para qualquer colecionador que se aproxima,” ele recentemente declarou em resposta à minha pergunta via email. Felizmente, um perito na Terra Média chamado Jay Johnstone, um dos fundadores dos fundadores do site de fantasia/sci-fi Legendarium.me, descobriu que van Rossenberg tinha a gravação em seu domínio, e o convenceu a abrir seu escondido tesouro de dragão. “Estou ansioso para compartilhar com todos os aficionados de Tolkien a grande alegria que senti quando eu toquei pela primeira vez a fita e ouvi Tolkien dando seu grande discurso” acrescentou van Rossenberg.

Os sites Legendarium e o site Tolkien MiddleEarthNetwork.com, em uma parceria com o van Rossenberg  ampliaram a conscientização e os fundos para remasterizar a fita magnética original, cronologicamente ao evento, e torná-lo disponível para o mundo no final através do projeto de Rotterdam. “Qualquer coisa nova do Tolkien é sempre emocionante”, disse Tom Shippey, autor de J.R.R. Tolkien: Author of the Century, “mas o Projeto Rotterdam é muito especial. Um discurso de Tolkien, no primeiro ano do seu sucedido Senhor dos Anéis, quando ele estava entre amigos, se divertindo, e capaz de falar livremente!”.

Tolkien Rotterdam - 1958

A fotografia acima, tirada na noite do Jantar Hobbit em Rotterdam, mostra Tolkien em seu colete de fantasia (ou weskit como teriam chamado no Condado). Não há dúvida de que Tolkien já tinha bebido um quartilho ou dois em sua mesa no momento em que andou até o microfone para ficar na frente da multidão de adoradores holandeses. Estudei muitas fotos de Tolkien ao longo dos anos, mas esta é absolutamente um das minhas favoritas. Olhe para o jeito desenvolto ele coloca sua mão direita sobre seu quadril. O sorriso ainda torto alegre de um orador habilidoso, que sabe como trabalhar uma multidão. Este é o tipo de homem que você gostaria de estar acompanhado pelo Condado (ou mesmo Rotterdam).

No início do discurso Tolkien é realmente cheio de um espírito elevado e faz piadas de uma forma que nunca tinha ouvido antes. Mais do que o ultra-sério professor de Oxford, que a maioria de nós conhece por suas poucas gravações, temos Tolkien -como- Bilbo, saído do capítulo “Uma Longa festa esperada.” Ele ainda faz referência a esse famoso aniversário de onzentésimo primeiro ano, pois o discurso de Tolkien foi concebido como uma paródia do discurso de despedida de Bilbo. A Voz alegre do escritor, com o seu sotaque brusco e rico, dança em torno de sua cabeça, como se estivesse bebendo uma canção de hobbit. Ao professor, foi dito por um de seus ex-alunos que ele “poderia transformar uma sala de aula em um salão de hidromel”.

Tolkien agradeceu os “hobbits” reunidos por ter lhe dado a maior festa de sua vida. Ele falou muito modestamente sobre O Senhor dos Anéis chamando-o de “Um coisa pobre, mas minha própria.” Ele não podia acreditar que as pessoas de lá gostariam de ouvir uma autobiografia após o jantar. Então ele pulou direto para a explicação  da construção de sua grande obra narrativa , afirmando que o Um Anel é um mero mecanismo que  se “ajusta o relógio rápido. ” E então ele claramente mostra sobre o que os livros tratam – algo que ele só fez alusão uma vez em uma carta, mas é incontestável neste discurso. (Se você quer saber exatamente o que ele diz tem que ouvir por si mesmo!).

Em um ponto, ele leu um poema em élfico, brincando que hobbits ficavam sempre apavorados quando alguém ameaçava recitar poesia em uma festa. Ele prefaciou o poema, dizendo que fazia quase vinte anos desde o dia que tinha começado trabalhar em O Senhor dos Anéis. Sua voz melíflua faz a linguagem imaginária ganhar vida, como sinuoso roteiro prateado de mithril  gravado no olho da mente:

 

Twenty years have flowed away down the long river
And never in my life will return for me from the sea
Ah years in which looking far away I saw ages long past
When still trees bloomed free in a wide country
And thus now all begins to wither
With the breath of cold-hearted wizards
To know things they break them
And their stern lordship they establish
Through fear of death

TRADUÇÃO LIVRE:
Vinte anos correu abaixo pelo longo rio
E nunca na minha vida irá voltar para mim do mar
Ah anos em que eu vi à distância as longas eras passarem
Quando as árvores ainda floresciam livres em um país grande
E então agora tudo começa a murchar
Com o sopro dos corações frios dos magos
Sabem coisas que lhes quebram
E o seu duro senhorio estabelecem
Através do medo da morte

 

Tolkien passou a tarde andando por Rotterdam – uma cidade que tinha sofrido muita destruição durante a Segunda Guerra Mundial. A visão o havia entristecido, lembrando-o da “orc-operação”, que ele tanto lamentou, tomando conta do mundo. Os “corações frios dos magos”, em sua busca por conhecimento e poder, eram apenas bons em destruir coisas. Em sua saudação final para a plateia de amantes do hobbit, Tolkien disse que Sauron se foi, mas os descendentes do ódio, assistentes do mago Saruman, o poluidor do Condado, estão por toda parte. Os hobbits do mundo não têm armas mágicas para lutar contra eles. Mas, acrescenta com uma declaração forte e esperançosa:

 “E ainda aqui hobbits gentis posso concluir dando-lhes este brinde. Aos hobbits! E que eles possam durar mais que todos os magos!”

O Jantar Hobbit de Rotterdam foi o primeiro de seu tipo, e também o último. Pois Tolkien nunca mais participou de outra festa como esta em sua honra. Mas agora temos a prova do que aconteceu naquela noite maravilhosa, e o que o grande autor disse. E o som da voz de Tolkien, como suas obras, vai durar mais do que a morte.

Aqui está uma prévia do Projeto de Rotterdam. Como Jay Johnstone disse: “É uma visão rara sobre o homem Tolkien, ao invés do escritor.”

Artigo originalmente publicado pelo Hunffitonpost e traduzido com autorização por Henrique Gurgel e Eduardo Stark.

Como o Middle Earth Network e o Legendarium são parceiros do Tolkien Brasil, em breve traremos novidades quanto a esse áudio e talvez uma versão com legendas em português será postada em nosso canal no youtube (AQUI). Também haverá novidades sobre esse áudio no evento internacional de lançamento do livro BEOWULF, que será realizado em 24 de maio, veja mais informações sobre o evento AQUI.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather