Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

George R. R. Martin: “Meu final refletirá O Senhor dos Anéis” – Por Shaun Gunner

Shaun Gunner é o atual Presidente da Tolkien Society. Eleito em 2013, Shaun fala regularmente sobre adaptações das obras de Tolkien enquanto acredita apaixonadamente que a Sociedade precisa alcançar novos públicos. Profissionalmente, ele trabalha com política, e em seu tempo livre pode ser encontrado no cinema, jogando videogame, ou em um restaurante agradável.

Shaun Gunner é o atual Presidente da Tolkien Society. Eleito em 2013, Shaun fala regularmente sobre adaptações das obras de Tolkien enquanto acredita apaixonadamente que a Sociedade precisa alcançar novos públicos. Profissionalmente, ele trabalha com política, e em seu tempo livre pode ser encontrado no cinema, jogando videogame, ou em um restaurante agradável.

 

Tradução: Sérgio Ramos.

 

O autor best-seller de Game of Thrones e A Canção de Gelo e Fogo, George R. R. Martin, afirmou que o final de seus livros refletirá O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien.

Falando na Medill School of Journalism em Illinois no começo deste mês, Martin discutiu sobre como seu final terá ecos de O Senhor dos Anéis de Tolkien. No passado, Martin falou sobre sua admiração pelas obras de Tolkien, bem como sendo amigavelmente crítico de algumas abordagens de Tolkien (veja mais AQUI1, AQUI2 e AQUI3).

George R R Martin

Contudo, desta vez ele concorda com Tolkien sobre o final das histórias, dizendo que “eu acho que você deve ter alguma esperança”:

Todos nós ansiamos por finais felizes de uma certa forma. Eu mesmo sou atraído pelo final meio amargo. As pessoas me perguntam como Game of Thrones vai acabar, e eu não vou contar… Mas eu sempre digo para esperar algo meio amargo no final, como [J. R. R. Tolkien]. Eu acho que ele fez isso de forma brilhante. Eu não entendia quando eu era criança – quando eu li O Retorno do Rei.

Em O Senhor dos Anéis, embora a busca seja bem sucedida, quando os hobbits retornam para o Condado, eles descobrem que ele foi devastado pelos homens de Saruman. Em seguida à queda de Saruman, Frodo enfim deixa a Terra-média, criando um final meio amargo no capítulo “Os Portos Cinzentos”. A Vulture reporta que Martin quer recrear essa sensação de que a vida não pode retornar à normalidade:

Ele nota que o uso da alegoria de Tolkien para revelar as verdades mais pedregosas da vida (a tragédia do pós-guerra britânico no final dos anos 40 e início dos 50, no caso de O Senhor dos Anéis), mesmo em face de uma vitória bem ganha, é brilhante. Você não pode simplesmente terminar uma missão e então fingir que a vida é perfeita, ele disse. A vida não funciona desta forma.

Artigo original: Vulture.

Artigo traduzido por Sérgio Ramos com autorização de Shaun Gunner, publicado originalmente AQUI em 12 de novembro de 2015.

facebooktwittergoogle_plusredditby feather
  • Luiz Felipe Barreto

    Brilhante.

    • João Vitor Amorim

      Realmente.