Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

TOLKIENCAST 05 – Fãs, Fanáticos, meninas histéricas e Tolkien é para crianças!?

 

Nesse podcast falamos sobre os diversos comportamentos dos fãs (não apenas de Tolkien, mas de uma forma geral), sobre essas atitudes estéricas das fãs de crepúsculo.

Desejem o aniquilamento (e muitas machadadas) de Clinton Davisson ao afirmar que todas as obras de Tolkien são para crianças (até mesmo o Silmarillon poxa vida!).

Entenda porque Eduardo Stark acha o mundo de Tolkien muito mais complexo e mais acadêmico do que o mundo de harry potter.

E rápidos comentários sobre o filme O Hobbit, afinal falta poucos dias para a estréia.

Participam desse podcast:

Eduardo Stark, Susane Soares (Paraná). Com a participação especial de Clinton Davisson (Rio de Janeiro) e Raoni Dantas (Maranhão).

Para fazer o Download basta clicar com o botão direito em salvar como AQUI.

 

 

Para as fãs de Crepúsculo, o Eduardo Stark citou esse video AQUI.

 

Se você gostou do nosso podcast, nos ajude a divulgá-çlo. Participe de nossas redes sociais e acompanhe nossas novidades e tudo sobre Tolkien. Assine nosso Twitter, Facebook Page, Facebook Group e veja videos legais em nosso canal no Youtube.

 

facebooktwittergoogle_plusredditby feather
  • lizziepereira

    Deixa eu só falar que existe SIM monografia de Harry Potter, baseando em detalhes da história mesmo? Já vi uma em algum lugar sobre as personagens femininas, suas personalidades e seus papéis no enredo. Só porque não é tão complexo como Tolkien não quer dizer que falte material :)

    E fanáticos no estilo “crepsculetes” existem em todo lado, até entre os fãs da Terra Média. O que pega é, como a maioria é formada por homens, não há gritinhos no cinema XDD mas o comportamento fanática em relação aos livros, brigando com quem não gosta ou não concorda gritando que todos são posers…

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100001667150459 Andre Felipe Barbosa Maccarini

    Olá pessoal, eu sou um novato nas estórias de Tolkien, acabei de ler O Hobbit em Português e pretendo lê-lo novamente (pois sou daqueles que não se contenta em ler um livro apenas uma vez).
    Estou realmente admirado com o que li e pretendo ir a fundo nos livros dele.

    – Quais livros/artigos/biografias (tudo) vocês recomendam que eu leia, e em qual ordem?
    – Ler em português e não em Inglês (original) afeta de alguma forma o ‘aprendizado’?

    Estou ávido para saber TUDO sobre este incrível universo do ‘professor’. Espero que entendam a minha animação de iniciante e me ajudem =)

    Muito obrigado,
    André M.

  • Diego Klautau

    Muito bom o podcast! Excelente convidados e uma boa discussão. Entre tantas coisas a comentar, escolho uma que considero mais importante, para ser breve:

    Essa ideia de que Tolkien é pra crianças é um preconceito do modernismo (filosófico e literário) que entende que apenas o que é extremamente subjetivo, e assim apenas o que é da miséria humana, pode ser digno de maturidade.

    Esse preconceito foi reforçado com as perspectivas de Disney sobre os contos de fadas com os desenhos produzidos nas décadas de 30, 40 e 50. Esse reducionismo do mito, da religião e dos contos de fadas como coisas de um estágio imaturo do ser humano é coisa de filósofos e cientistas modernistas que apenas enxergam como adulto coisas que se restringem à sexualidade, economia e política, ou seja, coisas que dizem respeito aos desejos e interesses materiais.

    Mesmo considerando os desenhos de Disney na época como imbecilizantes e redutores da potência do mito e dos contos de fadas, Tolkien sempre se pautou de que a imaginação e a fantasia são canais fundamentais para a maturidade humana. Inclusive uma imaginação e uma fantasia que transcendessem a materialidade, explorando intelectualmente as dimensões espirituais do ser humano. Lendo o On Fairy Stories podemos perceber o quanto a possibilidade da imaginação ser ponte de acesso aos conteúdos dos valores e virtudes (honra, justiça, sabedoria, amizade, amor), quanto às experiências de totalidade diante da criação do mundo (experiência do sagrado, da religião, da vida espiritual).

    Assim, além das óbvias nuances entre as obras (como as diferenças entre Hobbit, O senhor dos anéis e O Silmarillion), é possível perceber essa harmonia cósmica e transcendente na obra da Terra Média. Logo, só é possível considerar o legendarium tolkieniano como obra pra criança se você considera a Bíblia, Homero, Hesíodo, O Mahabarata indiano, as obras dos poetas trágicos, os Eddas nórdicos e escandinavos, o ciclo arturiano medieval, a mitologia suméria como uma vasta coletânea de contos infantis. O que quer dizer que você tem um grave problema de maturidade.

    Mais uma vez parabéns ao site e continuem o trabalho!

    Diego KLautau

  • Matheus Henrique Araujo Barros

    fala sério!!!…ridículo isso…só porque vocês não entendem a complexidade de Harry Potter não quer dizer que ela não existe…Harry Potter não tem o Harry como único herói, vários personagens tem grande importância, Harry não é ninguém sem Ron ou Hermione, não chegaria a lugar nenhum sem o mago Albus Dumbledore ou a intervenção de Snape, todos os alunos de Hogwarts que lutaram com os comensais no final enquanto poderiam simplesmente viver fazendo maldade dão uma ótima lição de lealdade, no decorrer dos 7 livros é possível observar o crescimento e desenvolvimento em vários sentidos desses e de outros personagens.
    Seriam mais maduros (como vocês se julgam) se não julgassem uma enorme massa populacional fã de HP analisando somente algumas pessoas que fazem coisas ridículas em público.
    Não me julguem errado, mas entendam como me senti sendo chamado de escandaloso, imaturo, infantil…etc…se não entenderam saibam que fiquei bastante OFENDIDO…
    Eu não escolhi gostar de Harry Potter, simplesmente aconteceu, não pesquisei qual história é mais complexa, apenas gostei. Inventando Terra Média ou não Tolkien não me agradou tanto com seus personagens assim como Rowling fez!!!…entendam isso…eu não sou inferior a vocês só por preferir Harry Potter a Senhor dos Anéis, já estamos no século XXI e eu não preciso aturar esse tipo de preconceito literário!…

    • http://www.facebook.com/eduardostark2 Eduardo Stark

      Olá Matheus.

      1- Ninguém disse que “a complexidade de harry potter não existe” só que ela é menor em comparação ao mundo criado por Tolkien. Essa foi uma argumentação minha para rebater a ideia de Clinton de que Tolkien (incluindo o Silmarillon) é para Crianças, o que eu falei é que difere do harry potter pela complexidade do mundo. A própria J.K. Rowling admitiu que o mundo de Tolkien é mais complexo, isso é meio que tema batido já. Você pode ver o inicio dessa discussão aos 35:00 minutos.

      2- Harry Potter tem o Harry Potter (estranho que o nome da série leve esse nome né?) como o único herói. No sentido de que tudo gira em torno dele e para ele, como você mesmo admitiu ae, que os outros personagens serviram de auxiliares para a missão do HP. Apesar disso, não desconsiderei que os personagens tenham seus dilemas (por isso acho o Severo snape o melhor personagem de todos).

      3- Maturidade é uma coisa complexa pra ser dita aqui. O que eu apresentei foram as MINHAS OPINIÔES, como disse no minuto 35:00 do podcast. São minhas opiniões, minhas impressões sobre o que imagino ser os fãs de harry potter, a exemplo cito esse video aqui…http://www.youtube.com/watch?v=1J0zvv0wf6M olha os fãs na porta do cinema.

      4. Como foi afirmado no podcast, acho que no minuto 41 ou 43, a imaturidade não tem a ver com idade, mas com os comportamentos que as pessoas enchergam, as atitudes. Logico que existem pessoas super maduras e inteligentes que curtem Harry Potter como fãs, mas como disse a imagem que está no meu consciente me passa essa ideia de público infantil.

      5- Se sentiu ofendido. Peço desculpas desde já, mas essas foram as minhas opiniões, assim como é por exemplo a opinião do Clinton dizer que o Silmarillon é para crianças (o que eu acho um absurdo) e nem por isso fiquei ofendido.

      6- Como disse também, acho que no minuto 43, já li os livros e achei bons, mas pra mim foi um divertimento passageiro. Isso varia de pessoa pra pessoa oras, como tudo na vida. Cada pessoa tem a sua visão de mundo.

      7 – Quanto a superioridade de uma obra em relação a outra. Se você reparar bem, o Raoni usou essa expressão… a que eu logo disse que eu achava mais complexo a obra de Tolkien, NÃo superior. Superioridade é algo que não se deve aplicar em relação a literatura, o maximo que se pode dizer é que são obras diferentes, público diferente e pretensão diferente.

      8- O objetivo do programa foi falar sobre os fãs, mas pra chegar nisso tivemos que passar pelas obras também.

      Espero que eu tenha esclarecido alguns pontos que você criou um caso. Caso se sinta realmente ofendido (sem necessidade ao meu ver) está convidado a vir em um podcast e expressar sua opinião de forma madura e sensata (como as coisas devem ser resolvidas).

      Muito Obrigado pela visita e por escutar o Podcast. Obrigado. Att. Eduardo Stark

      • Matheus Henrique Araujo Barros

        Caro Eduardo, gostaria de começar pedindo desculpas por ter te entendido errado em alguns pontos, mas para minha defesa digo que não pensei muito ao fazer o comentário pois, como já disse, me senti meio que ofendido por preferir HP, não foi um sentimento muito analisado, pelo contrário, eu ouvi o podcast e senti que precisava comentar algo para defender minha saga, de repente senti isso e o fiz.

        Queria acrescentar também que estava muito ansioso por esse podcast, pois o Raoni é meu amigo(eu sou o Matheus que ele citou) e me contou que gravaria um, quando vi que esse era dele fiquei super animado para ouvir…quanto a proposta de participar de um podcast e expressar minha opinião, vou pensar no assunto, mas acho que já tivemos conflitos demais…

        Espero que me entenda, costumo não agir por impulso nos problemas cotidianos, mas “mexeu com a Rowling, mexeu comigo” (risos)…

  • http://www.facebook.com/josetadeu.barros.7 José Tadeu Barros

    “estéricas”?
    WTF?