Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Renato Russo: um fã de O Senhor dos Anéis?

by Eduardo Stark. Esse artigo (em especial o último video abaixo) é uma homenagem ao meu grande amor Amanda Lafetá.

renato_russo_31

Em uma reportagem exibida no programa Fantástico da rede de televisão Globo,  em outubro de 2006, foram divulgadas páginas de uma carta do Renato Russo para um fã, e nessa carta ele listou alguns livros que ele recomendava a leitura, e dentre vários livros interessantes, temos entre os dez primeiros o livro O Senhor dos Anéis de J.R.R.Tolkien.

Você deve pensar, mas o fato dele ter lido O Senhor dos Anéis e recomendado não o tornaria um fã do Senhor dos Anéis. Justamente.Mas o fato de recomendar a obra implica necessariamente que ele deve ter pelo menos gostado do livro.

A carta deve ter sido escrita entre os anos de 1994 e 1996. Épocas em que a editora Martins Fontes estava lançando os livros traduzidos pela primeira vez de forma oficial no Brasil. Ainda não existiam os filmes de Peter Jackson e no Brasil havia poucos leitores da obra de Tolkien (jogadores de RPG e pessoas com um pouco mais de cultura, talvez o caso do Renato Russo). Renato Russo foi professor de Inglês e pode ser também que tenha conhecido os livros de Tolkien nas versões em Inglês, mas isso é uma mera suposição.

Como o próprio Renato diz na carta, ele foi influenciado pela leitura desses livros “Uma boa idéia rapazes é LER LIVROS, aí vocês verão que nem sou tão original (etc) assim”. E ao que parece utilizou muito deles como inspiração em suas músicas. Um exemplo talvez seja o título da música “Teatro dos Vampiros” (Anne Rice talvez?)…

O grupo Legião Urbana tinha uma certa admiração por cultura medieval, pelo menos uma de suas músicas parece ser uma homenagem a “Ordem dos Templários”, a mais poderosa ordem de cavaleiros medievais.

Mas, se nos deixarmos levar pelas múltiplas possibilidades de interpretações das músicas compostas por Renato Russo veremos que podemos relacionar algumas de suas músicas a cenas de histórias de Tolkien. Uma das músicas mais extraordinárias é a música “Metal contra as nuvens” e nela há claras referências a um ser presente na mitologia de Tolkien (Dragão) e também toda essa questão da luta, não se render diante de um desafio.

Na carta temos o seguinte conteúdo:

“Tudo bem tudo bem. Mas realmente não gosto que me visitem sem avisar antes – sempre estou ocupado ou fazendo alguma coisa ou etc. Uma boa idéia rapazes é LER LIVROS, aí vocês verão que nem sou tão original (etc) assim. Uma lista:

– “Zen e a Arte de Manutenção de Motocicletas”, Robert Pirsig
– “A Montanha Mágica”, Thomas Maan
– Admirável Mundo Novo”, Aldous Huxley
– “Estórias de Fada”, Oscar Wilde
– “A Revolução dos Bichos”, George Orwell
– “Capitães de Areia”, Jorge Amado
– “Encontro Marcado”, Fernando Sabino
– “O Apanhador no Campo de Centeio”, J.D. Salinger
– “Discurso Sobre a Servidão Voluntária”, Etienne de la Boétie
– “O Senhor dos Anéis”, JRR Tolkien
– “Siddharta”, Herman Hesse
– “Demian”, Herman Hesse
– “Narciso e Goldmund”, Herman Hesse
– “O Lobo da Estepe”, Herman Hesse
– “Histórias Extraordinárias”, Edgar Allan Poe
– “Fundação”, Isaac Asimov
– “1984”, George Orwell

Outros autores:

– Júlio Verne
– Fernando Pessoa
– Carlos Drummond de Andrade
– Colin Wilson

Outros livros:

– “O Vampiro Lestat”, Anne Rice
– “Feliz Ano Velho”, Marcelo Rubens Paiva

“…e milhões de outros livros”

Veja imagens dos originais das cartas (clique para ampliar):

renatorussocarta1

renatorussocarta2

Aproveitando a oportunidade, vamos fazer uma propaganda gratuita aqui, tentando valorizar um pouco mais o cinema nacional. No mês de maio teremos estréia nos cinemas de dois filmes relacionados a vida e obra de Renato Russo.

Está chegando o filme “Somos Tão jovens”, que narra um pouco da vida do Renato Russo. O filme tem estréia marcada para 03 de maio de 2013. Veja o trailer abaixo:

 

Também terá estréia o filme baseado na história que é narrada na letra da música “Faroeste Caboblo”. O filme está marcado para 31 de maio de 2013.

Bom, e se você não conhece Renato Russo ou a banda Legião Urbana, recomendo ver esse clipe abaixo muito bem feito:

 

SE VOCÊ GOSTOU DESSE ARTIGO AJUDE A DIVULGAR. POIS È ASSIM QUE O NOSSO SITE SE FORTALECE. AJUDE DIVULGANDO E COMPARTILHANDO NO FACE, TWITTER etc.Ou se puder curta nossa fanpage para acompanhar as notícias e coisas do site AQUI. Ou entre em nosso grupo no facebook e converse com vários fãs de J.R.R.Tolkien AQUI. E siga nosso Twiiter AQUI. OBRIGADO!

 

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather
  • Pingback: Fabio Porchat: "Eu li O Senhor dos Anéis ainda adolescente" - Tolkien Brasil | Tolkien Brasil()

  • Gabriel

    Algumas considerações:

    1- O Teatro dos Vampiros não tem nada a ver com Anne Rice e sua obra, o título da música é uma referência à novela Vamp, exibida pela rede Globo em 1991. A obra em si fala sobre a crise econômica que o país vivia naquele momento, versos como “vamos sair, mas não temos mais dinheiros, o meus amigos todos estão procurando emprego” são claros quanto a isso. Renato Russo resolveu batizar a música com esse nome para mostrar o papel que a TV tem de amortecer a vida das pessoas em situações como essas. Esse fato pode ser conferido nos três principais livros sobre a vida dele: “Renato Russo de A a Z”; “Conversações de Renato Russo” e “Renato Russo”, do Arthur Dapieve.

    2- Renato Russo não foi um mero professor de inglês, ele foi um dos melhores profissionais a trabalhar na Cultura Inglesa de Brasília (sendo que passou a maior parte da sua infância vivendo nos EUA com a família). Tanto que o príncipe Charles, ao visitar o Brasil em 1978, foi saudado, em Brasília, por um discurso feito por Renato Russo (ainda Renato Manfredini Junior, que nem tinha feito 18 anos completos), dada a perfeição do seu inglês.

    3- A maioria das obras citadas nesta carta foram lidas por ele durante a infância nos EUA e na adolecência, na década de 70 em brasília, onde os filhos de diplomatas e funcionários públicos tinham muito acesso a material importado.

    4- A Ordem dos Templários, exceto pelo nome, não tem nada a ver com a cultura medieval, outra característica marcante da obra de Renato Russo, fato confirmado por ele nos livros supracitados, é dar nomes que não tem nada a ver com as canções que batizam, no caso da ordem dos templários, música instrumental, sua linha melódica tem mais a ver com o pop italiano e norte americano pelos quais Renato Russo se interessava na época.

    5- Metal Contra As Nuvens é uma alegoria a situação do governo Collor, pouco tem a ver com Tolkien, afinal coisas como princesas, dragões e castelos estão presentes na cultura universal desde antes do escritor.