Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Como Tolkien faleceu em 1973

TOLKIEN

Hoje, 02 de Setembro de 2014, como fazemos em todos os anos, lembramos do falecimento do nosso querido professor J.R.R. Tolkien e ressaltamos o exemplo de pessoa que ele foi em sua vida.

É um momento de reflexão do quanto ele contribuiu na vida de milhares de pessoas, por meio de seus livros e pelo exemplo de sua vida digna. Também é um dia pertinente para tentarmos revisitar os acontecimentos. Tentar entender o que teria causado a morte desse grande escritor.

As circunstâncias da morte de Tolkien são pouco exploradas nos livros biográficos, apesar de ser do interesse de muitos entender com mais detalhes esse momento triste. Este texto tem o objetivo de tentar esclarecer um pouco mais sobre esse assunto

 

As circunstâncias da morte de Tolkien

 

Entre os anos de 1969 e 1971, Tolkien e Edith estavam morando em um bom hotel chamado Miramar, em Bournemouth. Eram momentos tranquilos, embora Tolkien se sentisse um pouco solitário.

Nessa época Tolkien e Edith conheceram o médico católico Denis Tolhusrt e sua esposa Jocelyn. Conforme descreve Humphrey Carpenter: “Ele [Tolkien] e Edith conheceram um médico local que se revelaria invariavelmente amistoso e prestativo sempre que algum deles não passasse bem”.

Na verdade Tolkien já conhecia o Dr. Tolhurst quando morava em Oxford, como disse em uma carta (250) para seu filho Michael: “Estou ficando quase tão rígido quanto um Ent. Meu catarro está (e estará) sempre comigo – ele remete a um nariz quebrado (e negligenciado) no rúgbi de colégio. O excelente Doutor Tolhurst insiste para que eu não tome remédios ou auxiliares – exceto aqueles ocasionalmente prescritos por um médico: isto é, quando uma infecção distinta aloja-se nas áreas fracas suscetíveis a ataques…”

Durante boa parte de sua vida, Tolkien levava um estilo ‘hobbitesco’ de alimentação. Gostava de fumar seu cachimbo e sair para beber com os amigos. Mas inevitavelmente isso traria consequências para sua saúde, especialmente quando se tornasse mais velho.

Foi assim que em 1969, Tolkien não havia se sentido bem e foi atendido pelo médico católico Denis Tolhurst, que havia diagnosticado com uma inflamação da vesícula Biliar. Tolhurst aconselhou Tolkien a evitar comer todo tipo de gordura, inclusive manteiga e qualquer tipo de álcool.

Tolkien então decidiu fazer um Raio X, para obter um diagnóstico mais preciso. O radiologista informa que não havia nada de errado com a vesícula Biliar e que não havia nenhum cálculo biliar (conhecida pedra na vesícula). Observado isso, Denis Tolhurst liberou Tolkien da dieta, mas recomendou que tivesse moderação com manteiga e especialmente com álcool.

Desde essa época Denis Tolhurst se tornou o médico pessoal do Tolkien e começaram uma boa amizade. Em abril de 1973, Tolkien enviou uma carta junto com uma edição de luxo de O Senhor dos Anéis assinada. Nessa carta Tolkien chamou Denis Tolhurst de “Extraordinário físico” e assinou a carta como “seu amoroso ‘Papai”, demonstrando um forte afeto entre eles. Nessa carta Tolkien manifestava o desejo de reunir-se com eles e sua família.

Livro enviado por Tolkien ao seu médico Denis Tolhurst

Livro enviado por Tolkien ao seu médico Denis Tolhurst

No mês seguinte Tolkien foi visitar os Tolhursts, como havia mencionado na carta junto com o livro assinado. Sobre esse encontro o professor Tolkien escreveu na carta 351: “Fugi dos dias superlotados do período de verão para Bournemouth de 16-22 de maio, e voltei muito melhor. Tive uma boa comida simples, um quarto com uma sacada particular e vi bastante meus queridos amigos, os Tolhursts

Mais tarde, em 28 de Agosto de 1973, Tolkien foi morar em Bournemouth novamente e pretendia ficar no Hotel Miramar, mas como não havia vaga disponível foi para a casa de Denis Tolhurst e sua esposa Jocelyn.

Em 30 de Agosto de 1973, reuniu-se com amigos para celebrar o aniversário da Srª. Tolhurst, mas não se sentiu bem, e não comeu muito, embora tenha bebido um pouco de champanhe.  Nessa festa, uns amigos dos Tolhurst levaram vários exemplares de O Senhor dos Anéis, em Paperback, com capa ilustrada por Pauline Baynes e pediram para o Tolkien assinar. Foram os últimos livros autografados pelo autor.  Logo depois da festa, durante a noite ele sentiu muitas dores.

1109 ed Tolkien 3

Residência dos Tolhursts, na 22 Little Forest, Bournemouth.

No dia seguinte, Tolkien foi levado a um hospital privado, onde foi diagnosticado de estar sofrendo de uma úlcera gástrica aguda com hemorragia.

A úlcera típica tende a curar-se e a recidivar. Os sintomas podem variar conforme a localização e a idade do indivíduo. As crianças e as pessoas de idade avançada podem não apresentar os sintomas habituais ou até nenhum tipo de sintoma. Nestas circunstâncias, as úlceras descobrem-se só quando surgem complicações. (fonte: AQUI).

Como dito, a úlcera para pessoas de idade avançada pode não apresentar nenhum tipo de sintoma. Pode ter sido o caso de Tolkien, que na época já tinha oitenta e um anos e repentinamente se sentiu mal.

Inicialmente as informações sobre o estado de Tolkien eram otimistas. Havia então a possibilidade de recuperação. Mas por prudência Tolkien decidiu chamar os filhos John e Priscilla, mas Michael estava na Suécia e Christopher na França e não conseguiriam viajar.

Nessa época, a medicina ainda não havia se desenvolvido com mais eficiência no tratamento da úlcera gástrica. A solução na época era a retirada de mais da metade do estômago por meio de cirurgia. (veja um artigo interessante sobre a evolução do tratamento médico da úlcera AQUI ). Somente em 1983 é que se descobriu que uma das causas da úlcera gástrica seria uma bactéria chamada Helicobacter pylori. Provavelmente essa bactéria teria agravado o estado de Tolkien.

Em 01 de Setembro, Tolkien permanecia em repouso, porém foi desenvolvida uma infecção e isso agravou o estado de saúde. Essa infecção no peito foi resultado de uma pneumonia. O aumento do pH gástrico pode trazer o risco de desenvolvimento da pneumonia em pacientes doentes entubados, pois eles perdem os reflexos de defesa das vias aéreas ou ainda, desencadear quadros de pneumonia em virtude da diminuída ação bactericida em meios de baixa acidez. (fonte:AQUI).

Diante desse quadro de saúde complicado parecia não haver nada a fazer além de esperar.

Na manhã de um domingo, 02 de Setembro de 1973, falecia o maior expoente da literatura de fantasia, J.R.R. Tolkien, aos oitenta e um anos.

O corpo de Tolkien foi enterrado no cemitério de Wolvercote, em Oxford. Na lápide de pedra está escrito o seguinte:

Edith Mary Tolkien, Lúthien, 1889 – 1971

John Ronald Reuel Tolkien, Beren, 1892 – 1973

Nas histórias criadas por Tolkien, Beren foi um personagem humano que se apaixonou pela elfa Lúthien, formando um amor incondicional e inquebrável, mesmo que diante das maiores dificuldades impostas pela vida.

Túmulo de J.R.R. Tolkien e Edith Tolkien

Túmulo de J.R.R. Tolkien e Edith Tolkien

Bibliografia:

J.R.R. Tolkien, uma biografia, Humphrey Carpenter, Martins Fontes, 1992.

As Cartas de J.R.R. Tolkien, Humphrey Carpenter, Arte e letra, 2006.

J.R.R. Tolkien, companion and guide. Christina Scull and Wayne G. Hammond, HarperCollins, 2006.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather

Um comentário

  1. Tony Stark /

    Excelente. Obrigado por compartilhar essas informações conosco.

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: