Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Seguindo o Tolkien Trail – Lia Silva

Birmingham-Tolkien-Trail-FOR-WEB-300x254

by Lia Silva

Como qualquer fã de Tolkien sempre quis visitar os locais relacionados com a sua vida e que vieram a influenciar a sua escrita. A primeira oportunidade surgiu nos dias 9 e 10 de Setembro quando, estando eu a viver em Inglaterra, planejei uma viagem rápida a Birmingham. Já tinha alguma ideia do que visitar mas a ajuda veio pelas mãos do Eduardo Stark (obrigada!) que me enviou o panfleto do Tolkien Trail (literalmente Trilho Tolkien, que pode ser visto AQUI). Juntei ao trilho a visita a alguns pontos-chave da cidade e marquei um hostel para passar a noite. À partida havia um misto de curiosidade, ansiedade e excitação. Houve alguns pontos do trilho que não foi possível visitar e explicarei o porquê.

Birmingham entra na vida de Tolkien em 1895, quando sua mãe Mabel o leva a visitar seus avós juntamente com seu irmão. No decorrer da viagem o pai de Tolkien acaba por falecer e sua mãe, sem desejo de regressar a Africa do Sul, decide instalar-se com as crianças na aldeia de Sarehole nos arredores da cidade. A maioria da sua infância seria passada entre aquele vilarejo e o centro da cidade, sendo que apenas deixou Birmingham em definitivo quando soube que entrou no Exeter College em Oxford. A maior surpresa surgiu no hotel que reservei, Hatters Hostel Birmingham. Enquanto explorava todos os cantos me deparei com este graffiti magnifico que me deixou sem palavras. Uma obra de arte belíssima que, sem dúvida, algum fã talentoso deixou no hostel durante a sua estadia.

Lia1

Foto: Graffiti no Hatters Hostel Birmingham

Não segui o trilho exatamente como sugerido, até porque os pontos mais importantes são fora da cidade e comecei por visitar o centro. A nova biblioteca foi o primeiro local. Birmingham é nos dias de hoje uma cidade comercial/industrial e super moderna na minha opinião, o edíficio da biblioteca não é excepção, tendo sido inaugurado apenas em 2013. Algo que os interessados devem saber é que a cidade não tem nenhum ponto oficial de informação turística, pelo que a biblioteca é o único local onde podem encontrar guias, panfletos e outras informações, assim como algumas lembranças. A biblioteca tem bastante material original relacionado com Tolkien nos seus arquivos do piso 4. É também aqui que se pode encontrar uma placa que comemora o cirurgião Dr. J. Sampson Gamgee, do qual Tolkien retirou o nome “Sam Gamgee” para a sua fiel personagem em O Senhor dos Anéis. O médico viveu na casa oposta à tia de Tolkien com quem este viveu alguns anos em Birmingham depois da morte da mãe.

Outros dos sítios que visitei no centro da cidade foi a Universidade que durante a Grande Guerra serviu de hospital militar e onde Tolkien esteve internado em Novembro de 1916 com febre das trincheiras. Também a famosa escola onde estudou, King Edward’s School, que foi demolida em 1936 e onde hoje se situa a New Street, uma das ruas comerciais mais famosas da cidade. Algumas das residências onde Tolkien viveu estão marcadas no trilho mas não foram possíveis de visitar pois são, nos dias de hoje, residências privadas e as pessoas levam a sua privacidade muito a sério aqui, e só o simples facto de estar à sua porta tirando fotos chega para instigar situações complicadas. Existem também dois locais fora do centro, em Edgbaston, que não tive a possibilidade de visitar pois não existem transportes frequentes, algo que não avisam aos fãs! Um desses locais é o The Oratory, uma igreja que Tolkien visitava frequentemente com a mãe e que requerer marcação para visitas. Outro são as torres de Perrott’s Folly e Waterworks que decoram a paisagem industrial da área e se dizem servir de inspiração para Tolkien como Minas Tirith e Minas Morgul.

Lia2

Foto: Sarehole Mill, vista do moinho através do lago

Decidi deixar o mais importante e interessante para o dia seguinte: o moinho e museu de Sarehole, o parque The Shire Country Park e a zona pantanosa Moseley Bog. Este moinho é um dos únicos movidos a água ainda em funcionamento na cidade e é visto como um grande marco na infância do professor. Hoje em dia faz parte da colectiva de museus de Birmingham, tendo o próprio Tolkien, na década de 60, contribuído para a sua reconstrução e classificação. Claramente tinha um carinho especial por este local.  Aqui brincou, subiu a arvores e imaginou um mundo diferente que mais tarde seria conhecido como Terra Média. Para além da bela paisagem Sarehole Mill apresenta ao visitante a exposição permanente Signposts to Middle-Earth (Sinais/Indicadores para a Terra Média), que mostra a forte conexão de Tolkien com a área. Por todo lado podemos encontrar pequenos sinais de madeira com as personagens criadas para as suas histórias e placas que contam um pouco da biografia de Tolkien e dos tempos em que viveu ali. Um dos pontos mais interessantes da exposição encontra-se no último piso onde podemos visualizar um pequeno filme biográfico de cerca de 10 minutos e onde as paredes estão decoradas com citações dos livros e com um cenário de uma toca de hobbit. A entrada no museu custa 3 libras e pode ser adquirida no salão de chá que existe na entrada onde também se podem comprar alguns postais e livros sobre Sarehole, o museu encontra-se aberto entre Maio e Outubro, das 12h às 16h. Moseley Bog é uma zona pantanosa que se encontra apenas a uns minutos de caminhada do moinho e é recordada nas descrições da Floresta Velha e das aventuras de Tom Bombadil. Para um fã das aventuras da Terra Média é díficil não se imaginar transportado para todos esses cenários mágicos quando tanto da paisagem à nossa volta nos lembra os nossos livros preferidos. O The Shire Country Park é um pequeno parque florestal nomeado em homenagem ao professor e encontra-se apenas do lado oposto da estrada.

Lia3 Foto: Toca de Hobbit no interior do museu de Sarehole Mill

Esta é uma viagem e um trilho ótimo para dois dias e fica relativamente económico pois a maioria dos sítios a visitar não se paga entrada. No entanto reconheço que nem todos os fãs tenham a oportunidade de visitar esta cidade. Contudo, recomendo que pelo menos uma vez nas vossas vidas visitem algum local que esteja conectado com Tolkien e a sua vida, e se sentirão um pouco mais perto dele. Eu já consegui um dos meus objetivos, talvez no futuro faça outra viagem e possa voltar a partilhar com vocês!

facebooktwittergoogle_plusredditby feather