Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Desenho de Tolkien 1934 é descoberto!

Recentemente estava pesquisando sobre Tolkien quando recebi a imagem de um desenho do rosto de Tolkien feito pelo artista F. A. Farrell. Encaminhei as informações para Michael Flowers que por sua vez pesquisou mais sobre esse trabalho e escreveu um artigo para o site da The Tolkien Society, que está abaixo traduzido.

É muito bom poder contribuir mais uma vez com uma nova informação sobre Tolkien, não apenas nova para os brasileiros, mas para todo o mundo.

Michael Flowers é um membro da The Tolkien Society. Sendo interessado em Tolkien desde os nove anos de idade. Tem mestrado pela University of Sheffield sobre ‘histórias vitorianas de fantasmas de Ellen [Mrs Henry] Wood’.

Att Eduardo Stark

——————————

1934 -08-09 - Tolkien desenho

J.R.R. Tolkien por F. A. Farrel, 1934

O jornal “The Advocate” de 9 de agosto de 1934 contém o retrato do rosto e ombro de um acadêmico que foi publicado junto com o texto:

“Professor John Tolkien tem sido Professor Rawlinson e Bosworth de Anglo-saxão na Universidade de Oxford desde 1925. Ele serviu com os fuzileiros Lancashire em 1915-18. Nascido de uma família do Sul Africana em 1892, ele foi educado na escola King Edward VI em Birmingham e na Exeter College em Oxford. Ele foi Professor de Língua Inglesa na Universidade de Leeds em 1924-5.” (O: Professor John Tolkien has been Rawlinson and Bosworth Professor of Anglo-Saxon in Oxford University since 1925. He served with the Lancashire Fusiliers from 1915-18. Born of a South African family in 1892, he was educated at the King Edward VI. School, Birmingham, and Exeter College, Oxford. He was Professor of English Language in Leeds University in 1924-5.)

Esse desenho não foi publicado por mais de setenta anos até que reapareceu no inicio dessa semana. O uso de John ao invés de Ronald sugere que Tolkien provavelmente não foi consultado sobre o texto.

“Novos” desenhos de Tolkien não são desenterrados todos os dias especialmente do período antes da publicação de O Hobbit em 1937, então essa imagem do escritor datada de 1934 é particularmente interessante. O que Tolkien estava fazendo em 1934? Ele provavelmente tinha bem recentemente completado a primeira versão de O Hobbit, mas não havia escrito o final como sabemos atualmente. Ele era um acadêmico ocupado, palestrando e ensinando diariamente, e também estava trabalhando em vários projetos de publicações acadêmicas. Os poemas de “As Aventuras de Tom Bombadil” e “Looney” foram publicados pela primeira vez naquele ano. É interessante que embora não tenha publicado nada de ficção até aquele momento, ele tinha já tinha uma considerada significância internacional como Católico ao ser apresentado em uma publicação religiosa australiana.

Em 1934, “The Advocate” era um jornal semanal de seis centavos especializado no fornecimento de itens de interesse jornalístico aos católicos em Melbourne, Austrália. The Advocate ainda é publicado até hoje, mas é agora uma revista semanal e um site. O item em si aparece em uma coluna regular com o título “A Letter from London”, mas a única pista sobre a autoria foi fornecida pela “Correspondência especial da The Advocate”. Por volta de 1930 a coluna era escrita por um autor chamado Denis Gwynn.

FarrellTrench

O retrato é assinado por F. A. Farrell, e acompanhado por uma única palavra “Oxford”. É possível que o semblante tenha sido obtido a partir de uma fotografia. Contudo, Charles Noad, um bibliográfico e estudioso de Tolkien, acredita que o desenho tenha sido feito provavelmente pessoalmente. Ele afirma que certamente seria mais puro se tivesse sido copiado a partir de uma fotografia. Esperamos que novas pesquisas possam responder a esta questão de forma definitiva.

As iniciais enigmáticas de F. A. Farrell revelam o interessante fato que o artista era o Frederick A. Farrell – que foi artista de guerra oficial de Glasgow, na Primeira Guerra Mundial. Este foi o único exemplo conhecido de uma cidade que patrocinou um artista de guerra! Como sua carreira e talento considerável sofreram de bastante negligência, estou tendo a oportunidade de aperfeiçoar sua biografia um pouco aqui, na esperança de que alguém será capaz de descobrir mais sobre ele.

FarrellPersonalPhoto

Única foto conhecida de F. A. Farrel, ao centro, publicado em Glasgow’s The Bulletin, 1 May 1920

Frederick Arthur Farrell nasceu em 29 de novembro de 1882, terceiro filho de John Farrell, curador da Casa de Negócios de Glasgow, e Margaret Farrell. Então ele era precisamente uma década mais velho que Tolkien. Ele foi originalmente treinado como engenheiro civil, mas no momento do seu registro em 11 de dezembro de 1915, ele deu a sua ocupação como “Artista (Etcher)”. Acredita-se que tenha sido autodidata como artista. Ele foi convocado em 13 de Junho de 1916, mas recebeu alta em 26 de novembro por causa de uma úlcera gástrica que havia inflamado, a qual ele sofria desde 1906. Em seguida, no mês seguinte ele permaneceu no fronte ocidental durante 3 semanas como um artista na 15ª, 16ª e 17ª Infantaria Highland Light em Flandres. No fronte residencial, ele reuniu as mulheres de Glasgow para o trabalho em fábricas de munições, estaleiros e obras de engenharia. Ele voltou para a França em novembro de 1917 e ficou dois meses vinvulado à 51ª divisão (Highland). Foi este último acontecimento que resultou em seu livro de 1920: “The 51st (Highland) Division War Sketches”.

Munitions

Posteriormente a guerra a Corporação Glasgow selecionou 50 das 99 pinturas de Farrell para uma exposição substancial no salão de reuniões da Câmara da cidade. Desde aquela época o trabalho de Farrell não foi mais visto em publico até que o Museu de Glasgow organizou outra exibição para comemorar o centenário da eclosão da Primeira Guerra Guerra Mundial em 2014. A exibição finalizou no último mês de Novembro. Contudo, o livro “Fred A. Farrell: Glasgow’s War Artist” foi publicado ano passado e ainda está em impressão.

Infelizmente, o recente livro não inclui um pós-escrito descrevendo brevemente a carreira de Farrel após a guerra. O que se segue é minha tentativa de reunir algo após dois dias de pesquisa na internet, por isso devem existir lacunas que poderão ser preenchidas por uma pesquisa mais especifica. Depois da guerra Farrell é conhecido por ter continuado a produzir gravuras de marcos de Londres, cenas continentais, e topografia escocesa. Seus retratos são menos difundidos, mas alguns de seus trabalhos da guerra incluem estudos dos homens em situações de combate, bem como os oficiais comandantes em repouso.

No inicio dos anos 30 regulamente eram publicados na revista Advocate as “retratos de eminentes católicos no Velho Mundo” de Farrell. E no seu obituário de 1935 no Advocate afirmou que seu trabalho apareceu frequentemente no jornal Universe de Londres, que era outro periódico Católico. A inferência é que Farrell também era católico, o que parece provável, mas até agora tenho sido incapaz de provar isso. É possível que seus retratos apareceram pela primeira vez em um jornal Inglês, como o Universe, antes da publicação na Austrália.

O'MalleyTitterton

Villassnte2Woodlock

Pelo menos mais quatro retratos apareceram no Advocate nos meses anteriores ao de Tolkien: John Francis O’Malley (Agosto 1933), Fr. Francis Woodlock (Setembro 1933), W.R. Titterton (Fevereiro 1934) e Dr J.M. Villasante (Junho 1934).[Todos estes retratos são fornecidos para fins de comparação nesse texto]. Tolkien é o único destas figuras em que a cabeça está olhando muito para baixo. Por esse motivo o retrato de Tolkien faz transparecer um pouco da auto-confiança e franqueza que os outros mostram. A boca ligeiramente franzida e o rosto carregado dão a ideia de um olhar pensativo. Talvez Tolkien estivesse extremamente ocupado quando o retrato estava sendo feito, e estivesse simplesmente concentrado em um livro, ou trabalhando em uma passagem difícil ou uma tradução?Seja qual for a razão, é evidente que o tom deste retrato é bastante diferente dos outros.Tolkien também difere em que não há nenhuma data junto a assinatura de Farrell, enquanto todos os outros são datados. Este hábito de datação revela que o desenho de Villasante foi elaborado dois anos antes da ilustração aparecer na imprensa. Portanto, é possível que o retrato de Tolkien também pode ter sido desenhado até dois anos antes de agosto 1934.

Até agora eu não tenho sido capaz de localizar um único obituário contemporâneo de Farrell em um jornal britânico, incluindo as publicadas em Glasgow. No entanto, o Advocate revela que Farrell morreu após uma curta doença, enquanto ele estava em uma turnê na Escócia.

A imagem e o texto do The Advocate foram gentilmente cedidas pelo advogado brasileiro e entusiasta de Tolkien, colecionador e administrador do site tolkienbrasil.com, Eduardo Ferreira, que foram enviadas a ele por um amigo, que sabia de seu interesse por Tolkien. Espero que este post estimule o interesse em Farrell e incentive alguém a descobrir mais fatos sobre esse artista talentoso e imerecidamente esquecido.

——————–

A versão em inglês foi publicada no site oficial da The Tolkien Society AQUI em 22 de julho de 2015.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: