Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Árvore genealógica comentada – Imrahil, Príncipe de Dol Amroth

Imrahil, Príncipe de Dol Amroth.

Imrahil, Príncipe de Dol Amroth.

 

“Mas mais além, no grande feudo de Belfalas, morava o Príncipe Imrahil, em seu castelo de Dol Amroth perto do mar, e ele tinha sangue nobre, e seu povo também, homens grandes e altivos com olhos cinzentos da cor do mar.” (J. R. R. Tolkien – O Retorno do Rei, Minas Tirith)

Por: Sérgio Ramos*.

Não deixe de conferir também o vídeo do canal Tolkien Talk sobre o mesmo tema deste artigo. Inscreva-se no canal AQUI e confira o vídeo:

Introdução

Este é o primeiro de uma série de artigos que esperamos publicar sobre árvores genealógicas do Legendarium de J. R. R. Tolkien. Árvores genealógicas são um importante aspecto para os personagens de Tolkien, sendo que ele criou intrincadas e complexas genealogias que dão pano de fundo e maior historicidade aos atores de sua “ópera” mitológica. Entendê-las e conhecê-las pode engrandecer a experiência de leitura dos fãs da Terra-média.

A intenção aqui é apresentar a árvore genealógica do personagem em estudo juntamente com breve comentário dos integrantes daquela família quando necessário. É apenas um guia que visa facilitar a vida do leitor de Tolkien, sem a pretensão de esgotar o tema. Por este motivo, não me prenderei em apresentar todas as datas, somente quando for realmente preciso.

Para começar essa série de artigos, escolhi um dos meus personagens preferidos, descendente de Elfos e Homens do Oeste, o Príncipe Imrahil de Dol Amroth.

Dol Amroth

Região de Belfalas e Dol Amroth.

Região de Belfalas e Dol Amroth.

“Com ele ia o Príncipe de Dol Amroth em sua cota metálica brilhante. Pois ele e seus cavaleiros ainda se comportavam como senhores nos quais a raça de Númenor se mantinha íntegra. Os homens que os viam sussurravam, dizendo: – É possível que velhas histórias falem a verdade; há sangue élfico nas veias dessa gente, pois o povo de Nimrodel certa vez morou naquela terra, há muito tempo. – E então alguém cantava em meio à escuridão alguns versos da Balada de Nimrodel, ou outras canções do Vale do Anduin, vindas de tempos imemoriais.” (J. R. R. Tolkien – O Retorno do Rei, O Cerco de Gondor)

O Castelo à beira-mar de Dol Amroth ficava na região costeira de Belfalas, ao sul de Gondor. Seu povo era praticamente independente, mas ainda assim se reportava ao Regente de Gondor. Diz-se que seu governante, o Príncipe, recebeu este título de Elendil.

Seu nome vem do último rei de Lórien, Amroth, que viajou para o sul para encontrar a senhora élfica Nimrodel, que havia fugido quando o mal foi despertado em Moria. Certa noite, durante uma tempestade, o barco em que Amroth vivia desprendeu-se da costa e foi para alto mar. Quando ele despertou, lançou-se ao oceano em uma tentativa desesperada de voltar ao porto, pois Nimrodel não estava com ele. Amroth nunca mais foi visto e seu nome deu origem ao lugar.

Conta-se que um grupo de Fiéis de Númenor havia ido embora do Ponente antes da Queda rumo à Terra-média e lá fundaram, bem ao sul, uma morada na região de Belfalas. Quando Elendil se tornou o Alto-Rei, nomeou o governante da região de Príncipe, sendo que este título, pela tradição de Gondor, só é menor do que os de Rei e Regente de Gondor. Já o povo de Dol Amroth, contam as lendas do lugar, tem origem na união de Mithrellas, uma donzela élfica acompanhante de Nimrodel, e o Dúnadan Imrazôr.

As pessoas de Dol Amroth eram nobres, altivas, descendentes de Númenorianos e Elfos, até pela proximidade com o porto élfico de Edhellond.

A árvore genealógica de Imrahil

Árvore genealógica de Imrahil (clique para ampliar).

Árvore genealógica de Imrahil (clique para ampliar).

 

* Imrazôr, o Númenoriano: Foi um homem nobre com sangue de Númenor que encontrou

Imrazôr encontra Mithrellas na floresta (arte de Steamey).

Imrazôr encontra Mithrellas na floresta (arte de Steamey).

Mithrellas, uma das companheiras de Nimrodel, tendo acolhido a donzela élfica e a desposado. Teve com ela dois filhos, sendo o primogênito Galador, o primeiro senhor de Dol Amroth.

* Mithrellas: Pertencia à raça dos elfos silvestres e foi uma das companheiras da senhora élfica Nimrodel que, ao fugirem para a costa na época em que o mal se ergueu em Moria, na Terceira Era, desgarraram-se nas colinas cobertas de florestas. Segundo contam as lendas de Dol Amroth, Mithrellas foi encontrada na floresta por Imrazôr, com o qual se casou e foi morar em Belfalas. Deu a luz a um filho de nome Galador e uma filha chamada Gilmith. Após o nascimento desta segunda, desapareceu certa noite e nunca mais foi vista. Não se sabe se foi perambular pelas florestas ou se seguiu o desejo pelo mar que havia em seu coração élfico, até porque sabia que seus filhos nunca poderiam acompanhá-la pelo fato de serem mortais.

* Galador: Filho da união entre Homem e Elfa, possuía sangue dos elfos silvestres e dos númenorianos. Foi o primeiro Príncipe e Senhor de Dol Amroth. Segundo uma das histórias da fundação do local, o título de Príncipe foi concedido pelo próprio Elendil. Não há registro dos nomes dos dezessete Príncipes que o seguiram, mas sabe-se que sua linhagem direta permaneceu íntegra até o começo da Quarta Era com o fim da Guerra do Anel e, possivelmente, além disso.

* Aglahad: Foi o décimo nono Príncipe de Dol Amroth.

* Angelimir: Vigésimo Príncipe de Dol Amroth e avô de Imrahil.

* Adrahil: O pai de Imrahil era sogro de Denethor, Regente de Gondor à época da Guerra do Anel, e assim avô de Boromir e Faramir, futuro Príncipe de Ithilien. Teve duas filhas, de nomes Ivriniel e Finduilas, e o herdeiro Imrahil.

* Ivriniel: Irmã mais velha de Imrahil e Finduilas.

* Finduilas: Esta irmã de Imrahil foi esposa de Denethor, Regente de Gondor, e mãe de Boromir e Faramir. Veio a ser responsável pela união das famílias nobres de Gondor: dos Príncipes de Dol Amroth com os Regentes. Morreu cedo. Segundo consta em sua história:

“Quando Denethor tornou-se regente (2984), mostrou-se um governante dominador, tomando para si o controle de todas as coisas.

Falava pouco. Ouvia conselhos e depois seguia sua própria cabeça. Casara-se tarde (2976), tomando como esposa Finduilas, filha de Adrahil, de Dol Amroth. Ela era uma senhora de grande beleza e coração bondoso, mas faleceu antes que se tivessem passado doze anos.

Denethor a amava, à sua maneira, mais que qualquer outra pessoa, exceto, talvez, pelo mais velho dos dois filhos que ela lhe dera. Mas tinha-se a impressão de que ela murchava na cidade guardada, como uma flor que, nascida nos vales próximos ao mar, é transplantada para um rochedo árido. A sombra do leste a enchia de terror, e ela sempre voltava seus olhos para o sul, na direção do saudoso mar.” (J. R. R. Tolkien – O Senhor dos Anéis, Apêndice A, Os Regentes)

Boromir e Faramir (arte de The Bohemian Weasel).

Boromir e Faramir (arte de The Bohemian Weasel).

* Boromir: Sobrinho mais velho de Imrahil e filho de Denethor, Regente de Gondor. Bravo guerreiro e valoroso capitão de homens, desempenhou importante papel na Guerra do Anel, sendo um dos nove da Comitiva que tinha como objetivo levar o artefato do inimigo para Mordor. Embora tenha sucumbido ao poder do Um Anel, conseguiu se redimir antes de morrer, tendo defendido bravamente seus companheiros.

* Faramir: Segundo sobrinho de Imrahil e irmão mais novo de Boromir. Fazia parte dos Guardiões de Ithilien, dúnedain do Sul. Ao contrário das expectativas de seu pai Denethor, lutou bravamente na Guerra do Anel até ser ferido gravemente e posto fora de combate. Após a coroação do Rei Elessar, recebeu o posto de Príncipe de Ithilien, sendo um dos substitutos no governo de Gondor quando o Rei viajava, ao lado do Príncipe de Dol Amroth. Casou-se com Éowyn de Rohan. Apenas uma vez é citado nos escritos de Tolkien o nome do filho que tiveram: Elboron.

* Elboron: Filho de Faramir e Éowyn.

* Barahir: Neto de Faramir e Éowyn, e provavelmente herdou o título de Príncipe de Ithilien. Barahir é o autor do conto “A História de Aragorn e Arwen”:

“O Livro do Thain foi, desse modo, a primeira cópia do Livro Vermelho, e continha muitos dados que foram omitidos ou perdidos. Em Minas Tirith ele recebeu muitas anotações e muitas correções, especialmente nos nomes, palavras e citações das línguas élficas; e foi acrescentada uma versão abreviada daquelas partes do Conto de Aragorn e Arwen, que ficam de fora do relato da Guerra. Afirma-se que o conto completo foi escrito por Barahir, neto do Intendente Faramir, algum tempo depois da morte do Rei.” (J. R. R. Tolkien – O Senhor dos Anéis, Prólogo, Nota Sobre os Registros do Condado)

* Imrahil: Príncipe de Dol Amroth à época da Guerra do Anel. Lutou na Batalha dos Campos de

Príncipe Imrahil, de Dol Amroth (arte de Donato Giancola).

Príncipe Imrahil, de Dol Amroth (arte de Donato Giancola).

Pellenor e marchou ao lado de Aragorn como um dos Capitães do Oeste até o Portão Negro de Mordor. Assim como os Príncipes anteriores, descendente de Elfos Silvestres e dos Dúnedain. Não por acaso foi reconhecido por Legolas como tendo sangue élfico:

“Finalmente chegaram à presença do Príncipe Imrahil; Legolas, olhando para ele, fez uma grande reverência, pois viu que realmente ele tinha nas veias o sangue dos elfos.

– Salve, senhor! – disse ele. Já faz muito tempo que o povo de Nimrodel deixou as florestas de Lórien, e mesmo assim ainda se pode ver que nem todos partiram do porto de Amroth, navegando para o oeste.” (J. R. R. Tolkien – O Retorno do Rei, O Último Debate)

Tinha aparência nobre, alto, cabelos escuros e olhos cinzentos. Viveu por noventa e nove anos. Teve três filhos homens (Elphir, Erchirion e Amrothos) e a filha Lothíriel, a qual casou-se com o Rei Éomer de Rohan, unindo assim o sangue de Dol Amroth com o dos Cavaleiros de Rohan. O Príncipe Imrahil fez parte também do Grande Conselho de Gondor, que aconselhava o Rei quando fosse solicitado. Após a Guerra do Anel, e com o fim dos Regentes, era substituto do Rei:

“Creio que ele [Faramir] compreendia Éowyn muito bem. Além disso, ser Príncipe de Ithilien, o maior nobre depois de Dol Amroth no revivido estado Númenoriano de Gondor, que em breve seria de poder e prestígio imperiais […]. Os principais comandantes, sujeitos ao Rei, eram Faramir e Imrahil; e um destes normalmente permanecia um comandante militar no reino na ausência do Rei.” (J. R. R. Tolkien – Carta 244)

Dol_Amroth_by_Losse_eldaSeu símbolo, assim como dos Príncipes que o antecederam, era o navio em formato de cisne prateado sobre um campo azul.

* Elphir: O filho mais velho e herdeiro de Imrahil, tinha apenas trinta e dois anos à época da Guerra do Anel. Veio a ser o vigésimo terceiro Príncipe de Dol Amroth.

* Alphros: Neto de Imrahil e sucessor de Elphir como Príncipe de Dol Amroth.

* Erchirion: Segundo filho de Imrahil.

* Amrothos: Terceiro filho de Imrahil.

* Lothíriel: única filha mulher de Imrahil. Casou-se com o Rei Éomer de Rohan, um dos Capitães do Oeste durante a Guerra do Anel, unindo assim o sangue de Dol Amroth com o dos Rohirrim. Desta união, nasceu Elfwine, o Belo:

“Éomer tornou-se um grande rei, e, sendo jovem quando sucedeu Théoden, reinou por sessenta e cinco anos, mais tempo que todos os reis dos rohirrim exceto Aldor, o Velho. Na Guerra do Anel, tornou-se amigo do rei Elessar, e de Imrahil, de Dol Amroth; e com frequência cavalgava até Gondor. No último ano da Terceira Era casou-se com Lothíriel, filha de Imrahil. Seu filho, Elfwine, o Belo, o sucedeu no trono.” (J. R. R. Tolkien – O Senhor dos Anéis, Apêndice A, A Casa de Eorl)

* Elfwine, o Belo: Rei de Rohan, “era notavelmente parecido com o pai de sua mãe [Imrahil]” (J. R. R. Tolkien – Contos Inacabados, O Desastre dos Campos de Lis, Apêndice Medidas Lineares Númenorianas).

—– x —–

Esta é, assim, uma breve história e importância do Príncipe Imrahil de Dol Amroth através de sua árvore genealógica. Ele foi peça importante durante a Guerra do Anel, e também descendente de uma das únicas uniões de Homem com Elfa conhecidas (veja quais foram elas AQUI), e através de sua linhagem uniram-se casas nobres de Gondor e também de Rohan.

Referências: O Senhor dos Anéis; Contos Inacabados; As Cartas de J. R. R. Tolkien; The History of Middle-earth, Vol. XII, The Peoples of Middle-earth.

*Sérgio Ramos é membro da Tolkien Society e administrador do Tolkien Brasil. Servidor público, esportista e entusiasta de histórias de heróis.

*Sérgio Ramos é membro da Tolkien Society e administrador do Tolkien Brasil. Servidor público, artista marcial e entusiasta de histórias de heróis.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather