Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

“Os anões podem utilizar magia?” por Michael Martinez

Michael Martinez é um dos mais conhecidos Tolkienistas (escritor de Tolkien). Michael é autor de Visualizing Middle-earth, Parma Endorion: Essays on Middle-earth, 3rd Edition, and Understanding Middle-earth: Essays on J.R.R. Tolkien’s Middle-earth.Suas colunas são conhecidas por todo o mundo, pois já foram traduzidas para o português, espanhol, grego, italiano, húngaro, finlandês, hebraico, e outros idiomas.

Michael Martinez é um dos mais conhecidos Tolkienistas (escritor de Tolkien). Michael é autor de Visualizing Middle-earth, Parma Endorion: Essays on Middle-earth e Understanding Middle-earth: Essays on J.R.R. Tolkien’s Middle-earth.Suas colunas são conhecidas por todo o mundo, pois já foram traduzidas para o português, espanhol, grego, italiano, húngaro, finlandês, hebraico, e outros idiomas.

 

Tradução: Sérgio Ramos

 

Pergunta: Os anões podem utilizar magia?

Resposta: Sim, anões podem utilizar magia. Mais especificamente, os anões de J. R. R. Tolkien na Terra-média utilizam magia. Eles criam armas mágicas e armaduras (tais como Narsil e o Elmo-de-Dragão de Dor-lómin); eles criam instrumentos mágicos tais como aqueles que Thorin e sua Companhia pegaram para tocar depois que eles se apoderaram de Erebor; eles criam maravilhosos brinquedos mágicos como aqueles que Bilbo distribuiu na Festa no Condado; e eles encantam portas e portões, como a porta secreta em Erebor e o Portão Leste de Moria/Khazad-dûm.

Estes são apenas alguns exemplos de magia anã nas histórias de J. R. R. Tolkien. Milhões de pessoas leram sobre estes artefatos mágicos criados pelos anões da Terra-média de J. R. R. Tolkien. E ainda muitas pessoas perguntam se os anões podem utilizar magia.

As Portas de Durin (créditos da imagem: J. R. R. Tolkien).

As Portas de Durin (créditos da imagem: J. R. R. Tolkien).

Suponho que seja a falta de referências às “artes mágicas anãs” (em comparação às “artes mágicas élficas”) e à vestimenta mundana e ferramentas carregadas pelos anões em comparação às cordas mágicas, capas e barcos que Elfos estão habituados a conceder a seus amigos que levam as pessoas a negligenciarem toda a magia feita ou utilizada pelos Anões na Terra-média.

Elfos levam todo o glamour. Os Anões não levam nada.

Eu acho que o problema com as percepções do leitor comum sobre os Anões em O Senhor dos Anéis é que ele é essencialmente uma história élfica, embora seja contada sob o ponto de vista de um Hobbit. Praticamente, toda conversa importante no livro se baseia na história, filosofia ou mística élficas. Até mesmo Gimli se torna um devoto amante dos Elfos.

O Hobbit, em contrapartida, é apresentado como uma “história infantil” na forma publicada. Somente o filme de Peter Jackson que, na realidade, luta para transformá-lo numa “história de Anão”. Eu já disse antes que eu gosto bastante do conceito, mas algumas das críticas mais ásperas ao primeiro filme “Hobbit” focaram no modo como os Anões foram representados.

O Anões simplesmente não podem parecer à frente na avaliação do público.

A utilização de magia na Terra-média é quase onipresente. É um papel raro falar no livro que não menciona magia; e muitos personagens os quais a maioria dos leitores sentem que não têm magia, acabam por utilizá-la, incluindo Frodo e seus três companheiros, Éomer, Théoden, Aragorn, Gimli – bem, a lista continua. A magia é onipresente. Ela permeia a Terra-média e os Anões não são exceção à regra de que todas as raças da Terra-média encontram alguma conexão com magia (e eu não quero dizer através dos Anéis de Poder).

Dwarves-at-Council-of-Elrond

“Magia” é uma palavra com a qual Tolkien lutava. Para ele, não era realmente “magia”, e sim um talento nativo que alguns possuíam em maior medida que outros. Tolkien pode ter concordado com a afirmação de Arthur C. Clarke de que “qualquer tecnologia suficientemente avançada se parece com magia”. De fato, pode ser que um dia sejamos servidos por pequenos enxames de robôs semi-inteligentes que possam se transformar em todo tipo de dispositivos utilizáveis, dispositivos talvez controlados por nossos pensamentos (os quais eles irão passivamente detectar e analisar nossas ondas cerebrais).

Conceitualmente, todas essas tecnologias existem atualmente. Ainda estamos no processo de descobrir como produzir os enxames semi-inteligentes e obedientes que possam se comunicar conosco, que nos obedecerão, e os quais serão capazes de fazer coisas que não podemos fazer diretamente com nossas mãos. Tais capacidades sinergéticas certamente pareceriam magia até mesmo para as primeiras gerações do Séc. XX, não é mesmo?

Os Anões de Tolkien eram o que chamamos de tecnologistas, e apesar dele não visionar enxames de nanobots fazendo as ordens de Elfos e Anões, ele no entanto viu estas duas raças possuindo a habilidade de “encantar” o mundo a sua volta. A magia não se esvaiu quando o último Elfo navegou pelo Mar ou desvaneceu. Ela ficou aqui, bem aqui na Terra-média. É que ela toma uma forma diferente sob uma mão humana. Nossa “magia” é mais mundana do que a magia dos Elfos e Anões. Nós não podemos cantar coisas para que existam (ainda), mas nós podemos cantar de maneiras que nossos ancestrais sequer sonharam.

Ser um Anão na Terra-média é estar em sintonia com o mundo e possuir a capacidade de mudar o mundo de acordo com a própria vontade, em alguma medida – talvez menos do que um elfo e mais do que um homem. Nunca se deveria duvidar de que os Anões podem utilizar magia, pois sem ela estariam perdidos e solitários na Terra-média.

Artigo publicado originalmente 02 de Abril de 2013 AQUI. A publicação e tradução foi autorizada pelo autor do artigo Michael Martinez. Tradução de Sérgio Ramos.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather

2 comentários

  1. Marcelo Serra /

    Nunca foi negado que a história é elfocentrista. O que não diminui a importância dos homens, anões e demais raças que participam ativamente dos fatos.

  2. Muito bom o artigo.
    De fato os anões sempre são deixados de lado, e eu gostei do filme do Hobbit em especial pq teve essa atenção para com a minha guerrida raça anã(sempre vou de anão em RPG’s da vida), e apesar deles não usarem a “magia” na forma de projeção(tipo bola de fogo e tals), eles usam magia e encantamento em seus atefatos, e é por essa diferença que costumama achar que anão não possuem magia.

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: