Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Hilary Tolkien, o desconhecido irmão de J.R.R. Tolkien

Hilary Tolkien

Hilary Tolkien

 

by Eduardo Stark

Em todas as partes do mundo o escritor J.R.R. Tolkien é bastante prestigiado por seus livros de fantasia e obras relacionadas a mitologia e contos de fadas. Mas o que poucos analisam é que o escritor teve um irmão mais novo, que de certa forma o influenciou em sua vida e determinados pontos de suas obras. Pouco se sabe sobre a vida dele e o que se segue é um conjunto de informações colhidas em diversos livros e materiais reunidos.

Na esquerda Hilary e na direita Ronald

Na esquerda Hilary e na direita Ronald

Hilary Arthur Reuel Tolkien, assim como seu irmão mais velho, nasceu em Bloemfontein, no sul da África, em 17 de fevereiro de 1894. Tendo nascido saudável, pouco mais de um ano teve que partir para a Inglaterra com sua mãe e irmão, em abril de 1895.

Em 1896, sua família se mudou para Sarehole, e pouco depois já estava acompanhando seu irmão mais velho nas aventuras pelo campo verde. A relação de irmão se estabelece como naturalmente ocorre, com brincadeiras e divertimentos diversos.

Em 1900, Mabel Tolkien se converteu ao catolicismo e passou a instruir seus filhos nessa fé. Hilary começou os estudos com sua mãe, mas não conseguiu sucesso no exame para ingresso na King’s Edward School, pois foi dito que ele era “muito disperso e lento na escrita”.

Em 1904 Hilary pegou sarampo e que foi agravado e se transformou em uma tosse forte e pneumonia. Foi logo enviado aos seus avós, os Suffield, para se recuperar. Pouco depois, sua mãe faleceu por causa de diabetes e assim se tornou órfão como seu irmão.

A ideia de responsabilidade do irmão mais velho sobre o mais novo foi ampliada. Já que agora no mundo os dois tinham apenas um ao outro como família. O tutor que os auxiliava era o Padre Francis Morgan, um amigo de sua mãe.

Desde então os dois irmãos passaram a morar em pensionatos, em 1908 na 37 Duchess Road e em 1911 foram morar com Beatrice Suffield, viúva do irmão mais novo de Mabel. Na casa da tia Beatrice, Hilary passava bons momentos junto com seu irmão, jogando pedras nos gatos que ficavam abaixo da janela do quarto. Ele frequentava também o Oratório de Birgmingham e já estudava na King’s Edward School e acompanhava o seu irmão na escola.

Ronald (direita) e Hilary (esquerda)

Ronald (direita) e Hilary (esquerda)

Dessa época, J.R.R. Tolkien lembra em carta de 1968 (Carta 306) que “a observância da religião era rígida. Hilary e eu devíamos, e geralmente o fazíamos, comparecer à Missa antes de subirmos em nossas bicicletas para ir para o colégio na New Street”.

Os dois irmãos eram inseparáveis e juntos criavam várias histórias com fantasia, misturada com sua realidade. Foi nessa época que Ronald criava histórias para seu irmão mais novo e ambos se aventuravam na zona rural e no gramado verde.

Em 1910, Hilary deixou a escola para se juntar à empresa de seu tio Walter Incledon, que cuidava de negociação de ouro e pedras preciosas. Depois foi ajudar sua tia Jane Neave com a empresa Phoenix, que pertencia a Brookes-Smith na vila de Gedling, Nottinghamshire.

No verão de 1911, J.R.R. Tolkien e seu irmão Hilary foram em uma expedição para a Suíça com a família Brookes-Smith. A foto abaixo mostra o grupo inteiro da direita para a esquerda: Doris Brookes-Smith, Tony Robson, Colin Brookes-Smith, Phyllis Brookes-Smith, Rev. C. Hunt (da Hurst Green), um amigo de J. R. R. Tolkien, Jane Neave (tia de Tolkien), Hilary Tolkien (com suéter branco), uma mulher, Tolkien (com um cachecol), Jeanne Swalen (uma bába sueca), Muriel Hunt, Dorothy Le Couteur (inspetor de escola), Helen Preston (uma amiga de Jane Neave), e um guia sueco.

Swiss-tour-1911-group-photo-from-Ts-Gedling

Essa viagem posteriormente trouxe uma série de influências ao escritor J.R.R. Tolkien, em especial a imagem que ele passou a ter de Valfenda e a viagem de Bilbo. Como afirmou em carta 1967, em uma carta para seu filho Michael:

“A viagem do hobbit (de Bilbo) de Valfenda ao outro lado das Montanhas Nevoentas, incluindo a descida pela encosta nevada e de pedras escorregadias até o bosque de pinheiros, é baseada em minhas aventuras em 1911: o annus mirabilis de luz do sol no qual praticamente não houve chuva entre abril e o final de outubro, exceto na véspera e na manhã da coroação de George V.”.

Com o início da guerra do Reino Unido contra a Alemanha em 1914, Hilary se alistou no regimento real de Warwickshire. Ele foi ferido por estilhaços em 1916, ao transportar munição na fronteira de Passchendaele, na Bélgica.  Por seus atos militares, Hilary ganhou várias medalhas, algumas das quais parecem ter sido erroneamente atribuída a “Folkien”.

Hilary como corneteiro na I Guerra Mundial

Hilary como corneteiro na I Guerra Mundial

Não tendo nenhuma mulher e nenhuma mãe foi para Edith, mulher de seu irmão Ronald, que as cartas do exército eram enviadas. Com o fim da guerra, ele voltou para a Inglaterra no mesmo dia de seu aniversário.

Hilary Tolkien serviu ao Exército com o cargo de Bugler (Corneteiro), enquanto Bilbo Bolseiro foi contratado pelos anões como um Burglar (ladrão, assaltante), um trocadilho de palavras que o autor do Hobbit pode ter incluído em suas histórias e gostava de fazer.

Em 22 de Novembro de 1917 Hilary foi escolhido por seu irmão mais velho para ser o padrinho de batismo de seu primeiro filho John Tolkien. Mostrando que os irmãos Tolkien eram ainda unidos pela memória e pela fé de sua mãe na tradição da Igreja Católica. E ainda, em homenagem ao seu irmão, J.R.R. Tolkien também deu o nome ao seu segundo filho Michael Hilary Reuel Tolkien em 1920.

Como seu irmão, Hilary adorava tudo relacionado com a natureza. Depois da guerra, ele comprou um pomar de ameixa perto de Evesham, Worcestershire. Pouco tempo depois , seu irmão, com pneumonia, vem para descansar em sua fazenda em 1923. Ele também adquire um viveiro em Blackminster.

Ronald e Hilary permaneceram muito próximos ao longo da vida, escrevendo cartas regularmente entre si. Ele é a pessoa a quem Ronald escreveu quando sua reputação e suas obrigações profissionais pesavam muito. Eram constantes os encontros em festas familiares como casamentos, aniversários e batismos.

Hilary tinha o costume de fazer ilustrações e cartões para enviar aos familiares, um hábito que adquiriu de sua mãe e de seu irmão mais velho. Abaixo uma ilustração feita por Hilary Tolkien:

house-watercolour por Hilary Tolkien

Em 1928, Hilary se casou com Annie Madeline Matthews e tiveram três filhos Gabriel (1931), Julian (1935) e Paul (1938).

Hilary foi umas das doze primeiras pessoas que recebeu um exemplar de O Hobbit assinado pelo autor, logo após o lançamento em 21 de setembro de 1937. Ao adotar um cão, Hilary o chamava de Bilbo Baggins. Bilbo quando o cão estava bom e Baggins quando estava bravo.

O sucesso de O Senhor dos Anéis surpreendeu toda a família Tolkien. Nem mesmo autor acreditava que o sucesso chegasse nas proporções que chegou. Pelo fato de morar em uma região rural, Hilary de certa forma ficou distante da popularidade de seu irmão, mas sabia dos acontecimentos pelas cartas que recebia.

Hilary e seu cão Bilbo Baggins

Hilary e seu cão Bilbo Baggins

Com o falecimento de seu irmão mais velho em 1973, Hilary passou a contribuir com informações para o biografo Humphrey Carpenter, que estava escrevendo uma biografia autorizada da vida de J.R.R. Tolkien, contudo ele não chegou a ver a obra finalizada, pois faleceu em 1976 na Evesham, Worcestershire, no Reino Unido.

Os Livros de Hilary Tolkien

O neto de Hilary Tolkien, ao procurar arquivos em sua casa encontrou uma caixa escondida que continha várias fotos e manuscritos antigos de seu avô e do seu tio avô J.R.R. Tolkien. Assim, um grupo de pessoas decidiu reunir o material e editar.

Foi assim que em 2009 foi publicado o livro Black & White Ogre Country: The Lost Tales of Hilary Tolkien contendo um conto escrito por Hilary Tolkien, editado por Angela Gardner e ilustrado por Jef Murray. Além disso, o livro contém fotos e partes de cartas inéditas de Tolkien para Hilary.

Black_white_ogre

No início de 2010 a editora ADC tinha a intenção de se publicar um livro chamado Wheelbarrows at Dawn: Memories of Hilary Tolkien que conteria a biografia de Hilary Tolkien. Contudo o livro cancelado, devido a advertência relativo a direitos autorais pela Tolkien Estate, grupo de descendentes do escritor do Hobbit. Haviam cartas não publicadas de J.R.R. Tolkien que seriam colocadas no livro e a Tolkien Estate entendeu que não poderiam ser publicadas:

Os direitos autorais dessas cartas privadas e não publicadas pertece a Tolkien Estate. Como guardião desses direitos e a privacidade da família Tolkien, ambos dos quais há grande cuidado em se proteger, a Estate propriamente declina da permissão para as cartas serem reproduzidas dessa forma. Contudo, a Estate deixa claro a ADC que não há problema com a publicação do livro tratando do material em questão, pois apenas 20 páginas de um total de 300 seriam removidas[1].

Contudo, o cancelamento da publicação do livro foi anunciado em novembro de 2010. E até o momento não há previsão para ser publicado.Em 2014 a caixa com diversas fotos e manuscritos de Hilary Tolkien foi vendida por mais de 300.000 reais.

[1] “The copyright in these private, unpublished letters belongs to the Tolkien Estate. As the guardian of these rights and of the privacy of the Tolkien family, both of which it takes great care to protect, the Estate quite properly declined permission for the letters to be reproduced in this way. However, the Estate made clear to ADC that it had no issue with the publication of the book providing the material in question – affecting only 20 pages out of a total of some 300 – was removed”. Fonte: http://www.theonering.net/torwp/2010/11/16/40512-tolkien-estate-comments-on-book-cancellation/#more-40512 (16 de novembro de 2010).

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather

Deixar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *