Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

A Queda de Gondolin – o próximo livro de Tolkien?

gondolin

by Eduardo Stark

Com seus 92 anos, Christopher Tolkien ainda tem fôlego de anunciar o livro “Beren & Lúthien” que será lançado em Maio de 2017. Esse livro conterá comentários do filho do Tolkien sobre os rascunhos do seu pai sobre a história romântica que vemos no Silmarillion.

A história de Beren & Lúthien está entre os três grandes contos das eras antigas do Silmarillion. E é de fundamental importância dentro do contexto das grandes sagas do mundo mitológico de Tolkien. Mas o livro tem ainda seu valor histórico biográfico, pois o Tolkien em algumas ocasiões referia a si mesmo como Beren e a sua esposa Edith, como Lúthien. Até hoje o túmulo dos dois carrega os nomes dos personagens logo abaixo de seus nomes oficiais.

Em 15 de junho de 1958, o professor Tolkien escreveu uma carta endereçada a Katherine Farrer. Ali Tolkien lista três grandes contos dos tempos do Silmarillion:

Pois embora eu tenha trabalhado nessas coisas (nas brechas de tempo!) desde por volta de 1914, eu nunca encontrei alguém além de C.S.L. e de meu Christopher que desejasse lê-las; e ninguém irá publicá-las. Passei todo o tempo que pude economizar desde que a senhora escreveu reunindo a massa inacabada desses materiais tal como se encontram mais ou menos terminados e decifráveis (quero dizer, legíveis). A senhora pode considerar a “história compendiosa”, ou Silmarillion, tolerável embora realmente só esteja revisada pela metade.

Os contos longos dos quais ela é retirada (por “Pengolod”) estão ou incompletos, ou desatualizados.

A Queda de Gondolin

A Balada de Beren e Lúthien (em verso)

Os Filhos de Húrin

 

O livro “Os Filhos de Húrin” foi publicado em 2007 pela HarperCollins e foi uma grata surpresa na época, pois desde o final da década de noventa do século passado, Christopher Tolkien não editava nenhum livro relacionado ao mundo secundário de seu pai.

Após a edição de Os Filhos de Húrin, novos livros foram editados por Christopher Tolkien e o grande público foi levado a entender que não haveria novos livros relacionados a Terra-média.

gondolin-queda

 

A Tolkien Estate e sua resposta sobre novos livros

 

Ao acessar o antigo site da família Tolkien que cuida dos direitos do autor, a chamada “Tolkien Estate” havia a seguinte resposta a grande indagação dos leitores:

 

Há algum projeto de produzir edições similares dos outros dois “Grandes Contos” da mitologia de Tolkien?

Infelizmente, nem “A Queda de Gondolin” e nem “Beren e Lúthien” foram desenvolvidos extensivamente e suficientemente por J. R. R. Tolkien o bastante para publica-los em uma forma similar ao “Os Filhos de Húrin”. Apesar de que, por exemplo, uma edição ilustrada desses contos possa ser possível, os textos existentes já foram publicados e permaneceriam incompletos.

 

Embora a Tolkien Estate não tivesse descartado a possibilidade de novos livros relacionados ao Legendarium, sugerindo até como exemplo edições com ilustrações, a esperança de que Christopher Tolkien tivesse algum envolvimento com essas novas edições parecia remota.

Isso se confirmou ainda mais quando o filho do Tolkien começou a se dedicar aos trabalhos acadêmicos ou relacionados a outros temas como “A Lenda de Sigurd e Gúdrun” (2009), “A Queda de Artur” (2013), “Beowulf: tradução e comentários (2015).

Surpreendentemente, passado dez anos desde Os Filhos de Húrin, o livro “Beren & Lúthien” será publicado em edição comentada por Christopher Tolkien.

O anúncio desse novo livro implicaria na possibilidade de também existir uma edição do conto relacionado a “Queda de Gondolin”.

Capa de "Beren and Lúthien", arte de Alan Lee (clique para ampliar).

Capa de “Beren and Lúthien”, arte de Alan Lee

 

Rascunhos: dos mais novos para os mais velhos

 

Ao que parece, Christopher Tolkien resolveu primeiro trabalhar com os rascunhos mais recentes e em seguida passou para os mais antigos.

A grande dificuldade em publicar esses rascunhos de Tolkien é que ele mudou vários aspectos de suas histórias ao longo de quase sessenta anos de escrita. Assim, ele escreveu vários textos que após o lançamento de O Senhor dos Anéis não poderiam ser publicados sem antes apresentar uma revisão completa que não contradiga a versão final.

Os manuscritos de Os Filhos de Húrin foram escritos nos anos de 1950, sendo considerado um material tardio (posterior ao Senhor dos Anéis) e por isso foi publicado primeiro no livro “Contos Inacabados”.

Os Filhos de Húrin é um manuscrito quase que completo escrito por Tolkien. Além disso, há uma maior facilidade de edição que não contrariasse o texto do Senhor dos Anéis. Então esse conto foi o primeiro publicado em forma de livro separado.

Quanto as histórias relacionadas de Beren e Lúthien há uma maior dificuldade, pois são textos incompletos e anteriores a publicação de O Senhor dos Anéis. Em geral a grande balada de Leithian foi escrita por volta de 1925 a 1931 e teve alguns rápidos trechos escritos em 1949.

Por se tratar de um texto anterior ao Senhor dos Anéis, uma série de mudanças deveriam ser feitas pelo próprio autor para retirar possíveis incoerências, nomes diferentes para personagens, fatos não relacionados etc. Como o Tolkien não pode mais realizar esse tipo de revisão, cabe ao seu filho apresentar os manuscritos originalmente e comentar a respeito sobre como ficaria dentro de um contexto após O Senhor dos Anéis.

Em se tratando de “A Queda de Gondolin” a dificuldade é ainda maior. Os manuscritos datam de cem anos atrás, quando Tolkien pela primeira vez escrevia sobre a Terra-média.

A Queda de Gondolin foi o primeiro conto completo da Terra-média e estava muito relacionado a suas primeiras ideias do seu mundo e grande parte dele foi modificado posteriormente.

Apesar disso, Tolkien pareceu nunca ter abandonado a ideia da queda de Gondolin. Pois em 1951 começou a reescrever o grande conto começando pela história de Tuor em “De Tuor e sua chegada a Gondolin”, que foi publicado em “Contos Inacabados”.

O material inédito de A Queda de Gondolin

No livro “The Lay of Beleriand”, na parte que fala sobre os poemas que Tolkien abandonou, Christopher informa que existe uma versão em poema chamada “The Lay of the Fall of Gondolin”. Contudo, o editor não publicou por inteiro esse texto, se atentando apenas a comentar sua existência e apresentar um parágrafo comparativo.

Certamente seria uma ótima oportunidade em um livro sobre o tema ter esse poema publicado por inteiro, além da versão em prosa com comentários.

 

As atividades dos leitores de Tolkien

 

Muitos leitores de Tolkien, tendo acesso aos vários rascunhos publicados na série “The History of Middle Earth” se atreveram a realizar suas próprias edições desses três grandes contos.

Muitas iniciativas desse tipo tem sido constantes na internet, com diversos sites promovendo versões dos grandes contos.

Mas uma iniciativa que chamou a atenção foi a do então diretor da The Tolkien Society, Alexander Lewis, que em 1987 editou o livro “The Tale of Gondolin” de forma não autorizada pela família Tolkien, em cinquenta exemplares em capa dura.

 

CONCLUSÃO:

 

Tolkien dividia O Silmarillion em três grandes contos: A Queda de Gondolin, Beren e Lúthien e Os Filhos de Húrin. Nenhum desses foi finalizado por Tolkien.

Esses contos tem seus manuscritos editados por Christopher Tolkien conforme o grau de antiguidade. Começando por textos mais tardios para os mais antigos: Os Filhos de Húrin (1950), Beren e Lúthien (1925) e A Queda de Gondolin (1916).

No antigo site oficial da Tolkien Estate não foi negada a possibilidade de existir edições ilustradas dos grandes contos.

Muitos leitores tentam fazer de forma não oficial comentários e suas edições. Porém é melhor que o Christopher Tolkien faça as edições e comentários dos manuscritos de “A Queda de Gondolin” e finalize o seu grande legado relacionado as obras fantásticas de seu pai.

Facebooktwittergoogle_plusredditby feather
  • Ikaro Henrique

    Aposto que esse velhote está falsificando escritos do pai, para lançar seus próprios escritos.

    • Sandro

      Aham, senta lá Cláudia…