Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

As mais caras cópias de O Hobbit do mundo – Cópias de associação

most-expensive-the-hobbit

Por Pieter Collier, organizador do site tolkienlibrary.com.

Tradução: Sérgio Ramos.

Na semana passada, nós vimos algumas belas encadernações de O Hobbit, onde a cópia mais cara valia entre U$hobb1 60.000,00 e U$ 90.000,00.  Esta estimativa foi de uma cópia de associação de O Hobbit onde foi inscrito pelo autor no frontispício “Para Stella Mills, de seu velho amigo, J. R. R. Tolkien.” O livro é, de fato, finamente encadernado por Sangorski e Sutcliffe Zaehnsdorf em marroquim preto com a mais luxuosa capa que eu já vi. Mas ela faz você se indagar se o valor reside na bela encadernação ou no fato de que esta cópia foi dedicada a Stella Mills. Alguém poderia também perguntar se o livro não tivesse sido reencadernado e se estivesse em seu estado primitivo, com a dust jacket original, se o valor não seria bem maior.

Esta é um pergunta razoável a se fazer, posto que, nos últimos anos, não foram as cópias reencadernadas de O Hobbit que quebraram todos os recordes em leilões. Houve, contudo, diversas cópias de O Hobbit que foram vendidas em leilão por preços muito maiores do que U$ 90.000,00.

Até então, O Hobbit mais caro já vendido foi uma cópia dedicada a Elaine Griffiths por U$ 120.800,00, a qual mostro aqui dentre outras incríveis cópias que foram vendidas por valores igualmente altos.

Que cópias de O Hobbit valem mais de U$ 100.000,00? E como elas se parecem? Vamos tentar ver neste artigo quais são as cópias mais caras de O Hobbit e determinar por que elas são tão caras.

Quando se fala em colecionar os livros de J. R. R. Tolkien, quanto mais antiga a edição, melhor – o que resulta em valores mais elevados para primeiras edições mais do que para edições posteriores. A primeira impressão sempre é a cópia mais cara e mais desejada. O segundo parâmetro mais importante é a condição, onde qualquer defeito desvaloriza muito o livro. Colecionadores sérios apreciam qualidade, e quanto melhor o livro, mais valioso ele fica. Para dar um exemplo, a primeira impressão de O Hobbit pode ser realmente cara, mas quando ela está numa boa e limpa dust jacket (o que não é o caso, na maioria das vezes) então o valor pode duplicar ou triplicar – especialmente quando a capa protetora está aparentando absolutamente imaculada. Em muitos casos, alguém poderia até mesmo dizer que uma dust jacket imaculada é mais valiosa do que o próprio livro que ela envolve! Isto é muito verdadeiro quando falamos de O Hobbit. Em 1937, a primeira impressão de 1.500 cópias esgotou rapidamente por volta de 15 de dezembro e só podemos imaginar quantas cópias ainda estão em perfeitas condições hoje.

Então, quando se tenta encontrar a cópia mais cara de O Hobbit, devemos ter certeza em procurar por uma primeira impressão com uma boa dust jacket. A próxima coisa que pode elevar o preço é, claro, uma assinatura de J. R. R. Tolkien. Também, aí podemos ver uma diferença: em geral, uma assinatura na página do título é mais valiosa do que um autógrafo nas páginas em branco ou preliminares. Mais valioso do que uma assinatura é uma dedicatória de Tolkien, especialmente se a pessoa é conhecida ou cumpriu um papel fundamental na vida de Tolkien, ou contribuiu para o processo de publicação de O Hobbit. O último fator provavelmente seria o mais importante: esta é uma assinatura de que período? Quando voltamos à nossa primeira regra, quanto mais antigo, melhor… Um O Hobbit de 1937 com uma dedicatória de 1937 sempre será mais valioso do que um O Hobbit de 1937 com um autógrafo mais recente.

Hoje, daremos uma olhada em algumas cópias assinadas de O Hobbit muito boas, todas datadas de 1937, que foram vendidas no passado. Veremos o que as torna tão valiosas e o que todas elas têm em comum.

Em 1937, Tolkien e seu O Hobbit não eram bem conhecidos e, como resultado, há apenas algumas poucas cópias assinadas por aí. A maioria, ou talvez todas, são cópias de apresentação dadas a seus amigos próximos, familiares ou parentes. Estes livros de O Hobbit são chamados de cópias de associação… Pois todos esses hobbits foram dedicados a alguém importante ou próximo de Tolkien. Com certeza, todos esses livros devem ser joias da coroa nas coleções em que fazem parte agora! A maioria deles foi vendida no pico publicitário dos filmes de O Senhor dos Anéis em 2002 e 2003, mas por volta de 2008 e 2009, algumas outras pérolas apareceram no mercado e eu não me surpreenderia caso, nos próximos anos, vejamos outras cópias de associação aparecerem no mercado de novo e quebrarem alguns recordes.

Eu sei que é algo ruim mostrar esses livros, pois qualquer colecionador de Tolkien sonha em ter um livro desses, e este artigo pode lhe trazer grande depressão. A maioria de nós percebe que estes tipos de hobbit são apenas para os ricos e famosos… Mas, para ser honesto, eles são tão maravilhosos de se ver que só podemos esperar que estas cópias estão sendo cultuadas e preservadas nas melhores condições.

Então, vamos dar uma olhada nas mais fabulosas cópias de O Hobbit em existência:

O Hobbit e Tia Jane

 

            Durante o namoro secreto do pai de Tolkien, Arthur, e Mabel Suffield, era Emily Jane Suffield (1872-1963) (“Tia Jane”) quem passava as cartas de um amante para outro. Após a morte de seu pai, e durante a doença de sua mãe, J. R. R. Tolkien foi ficar com sua tia. Os dois tiveram uma forte relação e, após a morte de sua mãe, a amizade entre Tolkien e Tia Jane se aprofundou a níveis pessoais e artísticos.

            Nos anos 20, moradores de Worcestershire se referiam ao caminho que levava à fazenda de Tia Jane como “Bolsão” (Bag End). O nome foi mais tarde utilizado por Tolkien como a residência de Bilbo Bolseiro. No início dos anos 60, Tia Jane pediu a seu sobrinho “um pequeno livro com Tom Bombadil como principal…” O resultado foi As Aventuras de Tom Bombadil, publicado no ano seguinte. Alguns meses depois, Tia Jane faleceu.

            Não deve ser surpresa que, quando O Hobbit foi lançado em 21 de setembro de 1937, J. R. R. Tolkien imediatamente tenha enviado uma cópia da primeira impressão para sua “Tia Jane”.hobb2

            A cópia de apresentação a seguir, dedicada a Jane Suffield, foi vendida em julho de 2002 em um leilão da Sotheby´s.

            Na primeira página, nós podemos ler “Tia Jane, de J. R. R. T. com amor, 06 de outubro de 1937”. Esta cópia tem um manuscrito da própria mão de Tolkien com o alfabeto rúnico inserido solto.

            Colecionadores e fãs de Tolkien ficaram frenéticos quando o preço de oferta ultrapassou GBP 27.850 – o recorde mundial anterior para uma cópia de O Hobbit que foi estabelecido em dezembro do ano anterior. Leiloeiros esperavam que esta primeira impressão alançasse de GBP 30.000 a GBP 50.000, mas eles ficaram aturdidos pela velocidade da venda – ela foi vendida por GBP 43.020 (U$ 65.600,00) em cerca de três minutos a um livreiro de Londres. De uma tacada só, O Hobbit foi o livro mais caro.

            É claro que todos fomos pegos de surpresa no ano seguinte quando, em julho de 2003, outra cópia de apresentação ainda mais fabulosa, dedicada a Jane Suffield, estava sendo vendida em leilão pela Sotheby´s.hobb3

            Inserido solto dentro do livro está uma carta assinada (“De seu amado Ronald”) para “Minha querida Jane” apresentando “meu livrinho” que “chegou ontem”, e notando que “Eu comprei outro carro de segunda mão com parte do dinheiro já ganho com O Hobbit…” A carta foi enviada de Northmoor Road 20 em Oxford, aos 22 de setembro de 1937, fazendo desta a cópia de apresentação mais antiga que se conhece de O Hobbit. Esta cópia é, evidentemente, uma das primeiras cópias recebidas por Tolkien e assinada no dia seguinte à publicação de O Hobbit.

            Na página em branco no começo do livro, podemos ler “para Titia Jane de Ronal, com muito amor” juntamente com uma inscrição tardia de um membro da família Tolkien ressaltando “da biblioteca de J. R. R. Tolkien”.

            É claro que não ficamos surpresos quando esta cópia de associação foi vendida por GBP 48.000 (U$ 80.250,00).

A publicação de O Hobbit em 21 de setembro de 1937

 

            Como vimos na última cópia de apresentação a “Tia Jane”, sabemos que Tolkien a enviou um dia depois da publicação. Como podemos ler em The Tolkien Companion & Guide, J. R. R. Tolkien provavelmente recebeu doze cópias de O Hobbit, em 21 de setembro ou um pouco antes. Ele passou a maior parte deste importante dia, e provavelmente muitos outros, autografando as cópias para a família, amigos, colegas e ex-alunos, escrevendo cartas e embrulhando e postando os livros. Os beneficiários seguintes são conhecidos: Helen Buckhurst, Simonne d´Ardenne, E. V. Gordon, Elaine Griffths, Jennie Grove, a família Jennings, K. M. Kilbride (a quem Tolkien também enviou uma cópia de Beowulf: The Monsters and the Critics), Stella Mills, Dorothy Moore, Jane Neave e Hilary Tolkien. Apenas recentemente, a cópia de Hilary Tolkien foi disponibilizada para venda, mas não sei se ela foi vendida. A cópia de Jane Neave é a que acabamos de falar. O Hobbit de Stella Mills foi ricamente reencadernado, a cópia de K. M. Kilbride é a cópia seguinte que analisaremos, seguida pela da família Jennings e Elaine Griffths. Se eu encontrar imagens ou informações das outras cópias, adicionarei aqui.

 

Esta cópia mostrada aqui não foi apenas assinada por Tolkien a K. M. Kilbride, mas também teve quatro linhas de versos escritas em Inglês Antigo. Estas linhas parecem ser baseadas em seis linhas de versos encontradas na página 44 de The Lost Road (1987). Ela foi vendida no leilão da Sotheby´s em Nova Iorque quebrando a marca recorde de GBP 57.176 (U$ 89.625,00) em dezembro de 2002.

hobb4

A cópia seguinte foi enviada a Elizabeth Jennings, poeta falecida, e a seus irmãos Henry, Mary e Aileen. Inscrito na primeira página em branco, podemos ler: “Outubro de 1937, Para Henry, Mary e também Aileen e Elizabeth Jennings, com amor do Autor JRRT.”

Elizabeth Jennnings tinha dez anos de idade na época em que ela recebeu a cópia. Ela era uma das crianças que leram O Hobbit antes da publicação e encorajou Tolkien a publicá-lo.

Esta 1ª impressão de O Hobbit foi vendida em um leilão na Christie´s em junho de 2005 por U$ 78.000,00 (GBP 43.000). Quem sabe haja uma segunda cópia assinada em setembro? Assim como Tia Jane tinha duas cópias? Se isso algum dia vier para venda, suponho que veremos outra quebra de recorde!

hobb5

No próximo O Hobbit, podemos ler “Elaine Griffths, tudo de bom, de J. R. R. Tolkien”.

Elaine Griffths, a Rainha dos Hobbits, era amiga e aluna do autor à qual foi entregue o texto datilografado por ele em 1936 – foi ela quem sugeriu que ele o mostrasse a Susan Dagnall na George Allen & Unwin.

Esta cópia de O Hobbit foi vendida em leilão na Bonhams em março de 2008 por GBP 60.000 (U$ 120.800,00) – um novo recorde para O Hobbit. Até hoje, esta é a cópia mais cara de O Hobbit.

hobb6

 

Em dezembro de 2008, a livraria Mark Faith Books vendeu uma cópia da primeira impressão assinada de O Hobbit por GBP 53.000 (U$ 80.000,00) estabelecendo uma nova referência para um livro autografado sem data. O livro foi autografado por J. R. R. Tolkien enquanto se hospedou na casa de Jack Benett, um amigo ex-colega de Oxford. J. A. W.

Jack Benett (1911-81) sucedeu C. S. Lewis como Professor de Inglês Medieval e Renascentista em Cambridge. Esta cópia da primeira impressão só foi assinada em 1972, mas, como podemos ver, ainda tem um bom valor!

hobb7

*Artigo original em inglês publicado em 31/01/2011 AQUI. Agradecemos a Pieter Collier por gentilmente dar a permissão para traduzir e publicar.

facebooktwittergoogle_plusredditby feather