Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

Música “Namárië”

A música Namárië é uma das mais completas canções em élfico dos escritos de Tolkien. Também conhecida como “Lamento de Galadriel” ou ainda “Namárië, Alteriello Nainië Lóriendesse“.

A primeira interpretação musical que podemos ver é a feita por uma banda especialista em músicas relacionadas aos livros do professor, a TOLKIEN ENSEMBLE. Nesse vídeo percebe-se que a cantora atua com um estilo de opera e não está tão atenta a pronuncia das palavras em élfico, tanto que a sonoridade de sua voz meio que se perde junto com os instrumentos.

A canção foi escrita em letras tengwar pelo próprio Tolkien no livro Road Goes Ever On. Confira a imagem da música com o uso do Tengwar:
(clique na imagem para ampliar)

Outra interpretação musical foi elaborada pela cantora Aijin Hideliaseção que se preocupou com a devida pronuncia do élfico, além de apresentar uma nova forma de se cantar a mesma música. O interessante é entender a sonoridade da lingua e começar a aprender algumas palavras apenas escutando a música. Percebe-se a sonoridade da lingua e como ela pode ser utilizada normalmente.

Namárië, Alteriello Nainië Lóriendesse

Ai! laurië lantar lassi súrinen,
Yéni únótimë ve rámar aldaron!
Yéni ve lintë yuldar avánier
mi oromardi lissë-miruvóreva
Andúnë pella, Vardo tellumar
nu luini yassen tintilar i eleni
ómaryo airetári-lírinen.

Sí man i yulma nin enquantuva?

An sí Tintallë Varda Oiolossëo
ve fanyar máryat Elentári ortanë
ar ilyë tier undulávë lumbulë
ar sindanóriello caita mornië
i falmalinnar imbë met, ar hísië
untúpa Calaciryo míri oialë.
Sí vanwa ná, Rómello vanwa,Valimar!

Namárië! Nai hiruvalyë Valimar!
Nai elyë hiruva! Namárië!

A tradução brasileira:

Ah! Como ouro caem as folhas ao vento,
Longos anos inumeráveis como as asas das árvores!
Os longos anos se passaram como goles rápidos do doce hidromel
Em salões altos além do oeste,
Sob as abóbadas azuis de Varda
Onde as estrelas tremem na canção
De sua voz de Santa e Rainha.

Quem agora há de encher-me a taça outra vez?

Pois agora a Inflamadora, Varda, a Rainha das Estrelas,
do Monte Semprebranco, ergueu suas mãos como nuvens
E todos os caminhos mergulharam fundo nas trevas;
E de uma terra cinzenta a escuridão se deita
sobre as ondas espumantes entre nós
E a névoa cobre as jóias de Calacirya para sempre .
Agora perdida, perdida para aqueles do Leste está Valimar!

Adeus! Talvez hajas de encontrar Valimar.
Talvez tu mesmo hajas de encontrá-la. Adeus!

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Nam%C3%A1ri%C3%AB

Video1: http://www.youtube.com/watch?v=7TU0hE47hS0

Video2: http://www.youtube.com/watch?v=XuL-aCdrvew