Saiba mais sobre O Hobbit, Senhor dos Anéis…

História interna do Quenya Parte 01 – Primitive Quendian

Ted Nasmith - 07

Para se compreender uma língua é necessário que se entenda primeiramente o seu contexto histórico, ressaltando suas origens e aspectos culturais que a formaram.

Tolkien, como filólogo e professor universitário compreendia que uma língua criada deve passar por um processo criativo não apenas gramatical, mas dentro de uma história que mostra o desenvolvimento da língua. Foi assim que começou a pensar em histórias em uma realidade diferenciada, para ali incluir as suas línguas criadas.

Veja abaixo a video aula explicando sobre as origens dos Elfos e sua primeira forma de falar o Primtive Quendian:

A língua Quenya tem suas origens de outras línguas usadas pelo elfos ao longo da grande marcha.

Os elfos despertaram em Cuiviénen, uma região distante na terra média. E nesse momento é que se formam as primeiras palavras e a primeira língua, chamada “Primitive Quendian” ou  língua Élfica primitiva.

O dom da fala vinha para os Elfos diretamente de ilúvatar, como uma dádiva especial, pois até aquele momento somente os Elfos podiam se comunicar através da fala.

Como está dito no Silmarillon:

“E começaram a criar a fala e a dar nomes a todas as coisas que percebiam. A si mesmos, chamaram quendi, querendo dizer aqueles que falam com vozes. Pois até então não haviam conhecido nenhum outro ser vivo que falasse ou cantasse”. (Silmarillon)

É dito também dentro da lenda do despertar dos Elfos, que as primeiras palavras foram ditas em admiração ao vislumbre das estrelas feitas por Varda, e foi justamente a primeira visão dos Elfos. Sendo que a segunda visão deles foram as suas esposas, e nisso eles buscaram desenvolver novas palavras a fim de se comunicar com elas.

Imin, Tata e Enel acordaram antes de suas esposas, e a primeira coisa que eles viram foram as estrelas, pois eles acordaram no crepúsculo antes do amanhecer. E a próxima coisa que eles viram foram suas esposas destinadas, deitadas dormindo na grama ao lado deles. Então eles ficaram tão enamorados de sua beleza que seu desejo pela fala foi imediatamente acelerado e eles começaram a “pensar em palavras” para falar e cantar nelas. (History of Middle Earth Vol. 11).

 A palavra Imin posteriormente originou a palavra em Quenya Min, que significa Um, Tata deu origem a palavra atta que significa Dois e o nome Enel deu origem a neldë, mas enel ainda é usado no Quenya com o significado de “entre” ou “meio”.

Assim surgiu a primeira língua falada pelos elfos, conhecida como Primitive Quendian.

Para acompanhar novos vídeos sobre as línguas acesse e se inscreva em nosso canal: AQUI.

facebooktwittergoogle_plusredditby feather
  • MAtheus Venturim

    Parabéns pela iniciativa, ótimo site !

  • Rauni Tarquinio Muniz

    Interessante como a historia criada por tolkien, trás também pontos da obra de andre luiz nosso lar. O mundo criado citado no video é o nosso lar embaixo dele seria zUmbral. Muito interessante mesmo, pois essa foi minha visão ao ver o video. parabéns a todos pelo site.

  • Bogdan

    Cara, a iniciativa é genial! Contar a história da língua é contar a história dos Eldar, pois não podem ser contadas uma sem a outra, parabéns!

    Só um detalhe: as lâmpadas dos Valar, Illuin e Ormal, não ficavam em Valinor, mas sim nos pólos de Arda. Melkor ainda não tinha domínio sobre a Tm nesta época…

    Grande abraço e continue com o trabalho!

    • http://tolkienbrasil.com/ Tolkien Brasil

      Realmente eu usei a palavra “lâmpada” mas q

    • http://tolkienbrasil.com/ Tolkien Brasil

      Realmente eu usei a expressão ‘lãmpada’ mas eu tava me referindo às árvores… coisa de pensar uma coisa e falar outra heheheh eu não faço os videos com um roteiro na hora de falar… por isso tem alguns erros desse tipo. Mas agradeço o comentário e espero que continue acompanhando os próximos videos. Abraço. Eduardo Stark.