Por 80 milhões Tolkien Estate processa Warner e New Line!

 
Praticamente no mesmo dia e horário em que foram divulgadas acusações de tratamento precário aos animais pela PETA (veja o pronunciamento de Peter Jackson a respeito AQUI.), agora a Tolkien Estate processa os produtores e distribuidores dos filmes “O senhor dos Anéis” e “O Hobbit”.
É longa  a história de processos judiciais da TOLKIEN ESTATE (os herdeiros dos direitos autorais de J.R.R. Tolkien). Atualmente a Tolkien Estate é dirigida pelo filho de Tolkien e responsável pelas publicações de livros póstumos do professor: Christopher Tolkien.
Há varios processos envolvendo a Tolkien Estate no que diz respeito a direitos autorais e uso dos personagens, nomes e referências a Terra-média. (para saber mais sobre o histórico de processos da Tolkien Estate acesse o artigo: O Senhor dos Tribunais AQUI).
Como pode-se ver no artigo mencionado, o pensamento de Chritopher Tolkien em relação a Peter Jackson e a produção dos filmes ultrapassa o profissionalismo e invade o campo sentimental, a ponto de Christopher Tolkien demonstrar total repúdio e recusa em ver e conversar com Peter Jackson.
Mas o mais complicado de se resolver e que acabou por adiar o filme do Hobbit, ocorreu em 2008, em que se chegou a um acordo milhonário da New Line com a Tolkien Estate.
Ontem, 19 de novembro de 2012, a Tolkien Estate mais uma vez ingressa em uma jornada de processos judiciais contra os produtores e distribuidores dos filmes  d’O Hobbit: Warner Bross, New Line Cinema e The Saul Zaentz Company.
Nesse processo a Tolkien Estate procura obter cerca de 80 milhões das empresas mencionadas, por quebra de contrato em relação a Merchandising dos filmes do “Senhor dos Anéis” e d’O Hobbit.
A reclamante alega que tem direitos sobre as produções de video games que são facilmente acessados pela internet para download, e que usam os personagens das histórias do Tolkien. (Gambling Games and Downloadable Games Beyond Scope of Merchandising License). A consequência disso é que novos jogos não poderão ser produzidos e o jogo The Lord Of The Rings Online irá terminar de transmitir seu maravilhoso mundo da terra média.
Alegam que há frequentemente abuso da publicidade e da exploração da ideia dos livros.
Os pedidos no processo e os questionamentos são resumidos pelo próprio documento nos seguintes:

1 – o direito de licenciar ou explorar serviços em quaisquer categorias, ou a capacidade de registrar, utilizar ou explorar marcas de serviço em quaisquer categorias (incluindo, sem limitação de hotéis, restaurantes, agências de viagens, sons de telefone, download de jogos online, conjuntos habitacionais, serviços educacionais, festas, festivais e atividades culturais e / ou de diversões, parques temáticos e / ou jogos de casino) em conexão com o Senhor dos Anéis e / ou o Hobbit, está além do alcance dos direitos de merchandising concedidos a / e Warner Bros ou Zaentz de  acordo com os termos da Licença de Merchandising;

2 -qual é o alcance ea extensão dos direitos dos réus para registrar e / ou usar marcas relacionadas ao O Senhor dos Anéis e/ou ao Hobbit.

O processo aguardará julgamento por parte do Juiz do Tribunal Central do distrito da California.
Veja o pedido inicial do processo feito pela Tolkien Estate, contendo as alegações:

 
Fonte: http://m.deadline.com/2012/11/warner-bros-sued-for-80m--j-r-r-tolkien-estate-publisher/
 
 

By

Eduardo Stark
Eduardo Stark
Leitor das obras das J.R.R. Tolkien por mais de vinte anos. Membro e apoiador de diversas instituições de promoção internacional das obras de Tolkien e C.S. Lewis. Tais como: The Tolkien Society, C.S. Lewis Society, The Mythopoeic Society, Newman Association, Viking Society dentre outros.
Advogado e Professor.

= Email: tolkienbrasil@gmail.com
= Canal sobre livros clássicos: https://youtube.com/tresvias
= Canal sobre tolkien: https://youtube.com/tolkienista

16 comentários para Por 80 milhões Tolkien Estate processa Warner e New Line!

  • Snaga  says:

    Dou total razão ao Christopher, tanto pelos processos quanto pelas atitudes passionais com que trata a obra de seu pai.
    Não estou dizendo que PJ tenha feito algo de errado em suas produções ou mesmo que acordos tenham sido quebrados. Digo apenas que Chris Tolkien não está errado em desgostar de algo que, inicialmente, era seu, particularmente seu, familiarmente seu. Mesmo que os direitos tenham sido vendidos, ainda assim é uma obra familiar.

  • Felippe Travaglia Magnago  says:

    Por mim acho que o Christopher devia transformar todo o conteúdo relacionado a Terra-Média em domínio público logo. Assim pelo menos qualquer um pode trabalhar encima da obra e ganha mais dinheiro quem fizer o melhor trabalho.

    • paulo pereira  says:

      Totalmente de acordo. Simples e eficaz. Cumprimentos. Paulo Pereira

  • paulo pereira  says:

    O que não deixa de ser curioso é o facto de cada vez que aparece uma adaptação da obra de Tolkien feita por Peter Jackson também aparece uma nova edição de Chris. Tolkien. Foi assim com os Filhos de Hurin, A lenda de Sigurd e Gudrun e agora com a The Fall of Arhur a ser publicado em breve. Creio que Chris. Tolkien se aproveita do efeito avassalador dos filmes para lançar as obras póstumas de seu pai. Não gosto desta atitude. E ainda não percebeu que os filmes são uma adaptação da grande obra de seu pai. São obras diferentes em suportes também eles diferentes. Quando isto não se percebe, paciência. O que é curioso é os seus netos não pensarem da mesma maneira. Só mais outra coisa, não vive na Inglaterra vá se lá saber por que razão. Impostos? Não quero chegar a tanto. Abraços a todos

  • […] Sobre o recente processo judicial da família Tolkien contra a Warner AQUI. […]

  • […] Em 19 de novembro de 2012, a Tolkien Estate processou os produtores e distribuidores dos filmes  d’O Hobbit: Warner Bross, New Line Cinema e The Saul Zaentz Company. Nesse processo a Tolkien Estate procura obter cerca de 80 milhões das empresas mencionadas, por quebra de contrato em relação a Merchandising dos filmes do “Senhor dos Anéis” e d’O Hobbit. (para saber mais sobre o inicio do processo e ver o documento do processo clique AQUI). […]

  • […] Em 19 de novembro de 2012, a Tolkien Estate processou os produtores e distribuidores dos filmes  d’O Hobbit: Warner Bross, New Line Cinema e The Saul Zaentz Company. Nesse processo a Tolkien Estate procura obter cerca de 80 milhões das empresas mencionadas, por quebra de contrato em relação a Merchandising dos filmes do “Senhor dos Anéis” e d’O Hobbit. (para saber mais sobre o inicio do processo e ver o documento do processo clique AQUI). […]

  • […] autorais das obras do professor J.R.R.Tolkien, processou a Warner Bros e outras companhias (veja AQUI), por quebra de contrato sobre Jogos baseados nas obras de Tolkien, com um valor de 80 milhões de […]

  • […] Fonte e Tolkien Brasil […]

  • […] A escolha por um roteiro totalmente ‘original’ é consequência primeiramente da proteção dos direitos autorais que está sendo realizado pela família Tolkien. No ano passado, a Tolkien Estate (que tem como principal diretor o filho de Tolkien, Christopher) processou a Middle Earth Enterprises e a Warner por quebra de contrato e alegaram que essas empresas não poderiam explorar o Universo do Senhor dos Anéis em jogos de todo tipo, especialmente pelo fato de que isso não estaria mencionado no contrato de venda dos direitos dos filmes assinado por Tolkien em 1968. O processo ainda está em curso e se julgado procedente implicará em uma indenização a família Tolkien de 80 milhões  e a proibição de se criar novos jogos (saiba mais sobre esse processo AQUI). […]

  • […] Sobre o recente processo judicial da família Tolkien contra a Warner AQUI. […]

  • […] em jogos de vídeo game relacionados às obras de Tolkien. (veja mais sobre o início do processo AQUI). Basicamente a família Tolkien não reconhecia o direito de se explorar os personagens e as […]

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>